Foram cinco anos de paixão os que viveram Irina Shayk e #Cristiano Ronaldo, sendo considerados um dos mais carismáticos e #Famosos casais do mundo dos famosos. No entanto, a chama do amor chegou ao fim e a relação não resistiu. Nos últimos tempos, Irina Shayk tem revelado algumas das razões que levaram à separação de Ronaldo, mas agora, em entrevista a Hola espanhola, a russa "parte a loiça". Apesar de não falar diretamente no craque português, a modelo é explosiva ao falar da relação entre ambos.

Irina afirma à Hola que "pensava que tinha encontrado o homem ideal, mas tal não sucedeu". Para a russa, que certamente vai ver estas suas palavras criarem muita polémica, o homem ideal "é fiel, honesto e um cavalheiro que sabe tratar bem as mulheres.

Publicidade
Publicidade

Não acredito em homens que nos fazem infelizes, porque isso são miúdos, não homens", enaltecendo que as verdadeiras razões para a separação prendem-se com motivos de infidelidades por parte do futebolista português.

É caso para dizer que estalou em definitivo o verniz entre a modelo russa e o melhor do mundo e os motivos parecem bem evidentes, a avaliar pelas afirmações da manequim. De recordar que aparentemente Irina Shayk encontrou no piloto de Fórmula 1, Lewis Hamilton, o substituto de Cristiano Ronaldo. De acordo com a imprensa internacional, a manequim russa e Hamilton foram vistos em clima de grande cumplicidade em Nova Iorque e uma foto publicada no Instagram, com um ramo de rosas no Dia dos Namorados, veio suscitar ainda mais rumores da paixão entre ambos.

Por seu lado, Cristiano Ronaldo é dado como estando apaixonado por Vanessa Huppenkothen, repórter do canal mexicano Televisa Deportes e que deu nas vistas no Mundial de Futebol do Brasil.

Publicidade

A mexicana, de 29 anos, conheceu o craque português em Madrid, tendo inclusivamente ido à capital espanhola para ir ver um jogo do Real Madrid. Já antes, outra jornalista, Lucía Villalón, de 26 anos, saltou para as páginas dos jornais ao ser apontada como namorada de Cristiano Ronaldo, o que acabaria por não se confirmar.