Foram efectuadas quase 100 queixas contra a Casa dos Segredos- Secret Story quinta edição à Entidade Reguladora para a Comunicação Social. As denúncias foram feitas desde que o programa começou no início de Setembro de 2014, na TVI, e já custaram mais de 20.000 euros. O regulador dos média, segundo uma fonte oficial, esclareceu que a quinta série do polémico Reality show, emitida de 21 de Setembro a 31 de Dezembro, foi de todas, a que foi um maior número de queixas.

A maioria dos processos de queixa referentes ao programa ainda estão em curso. Geralmente as denúncias recebidas pelo organismo regulador incidem sobre "alegados conteúdos desadequados, desrespeito de valores fundamentais, linguagem imprópria, transmissão de actos discriminatórios e violência física entre os concorrentes". Embora se pense que a comunicação social é uma entidade completamente livre, as transmissões de conteúdo considerado menos próprio custam caro. Com o Secret Story 5 a TVI foi alvo de coimas que, até hoje, já custaram ao canal de televisão cerca de  20.000 euros.

Carlos Magno, presidente da Entidade Reguladora para a Comunicação Social, afirma que "reality shows são um tipo de programa impossível de ser controlado. Aconteça o que acontecer são sempre em directo e sem nenhum tipo de controlo ou manipulação". O Secret Story é para todos os efeitos o líder. É um programa de televisão com pessoas reais e, talvez por isso, possua sempre um alto nível de audiências mesmo motivando queixas e apresentando situações que podem ser consideradas impróprias.

O programa é baseado no Secret Story original francês que tinha o mesmo conceito. Hoje em dia já correu toda a Europa. Em Portugal começou em 2010 e já vai na quinta série. As audiências são sempre elevadas, sendo muito superiores aos outros canais portugueses. Inicialmente era para ser apresentado por Júlia Pinheiro que entretanto saiu do canal e deu lugar à apresentadora e produtora Teresa Guilherme. De todas as séries a última versão do programa, "luta pelo poder", foi a única a não sofrer, até agora, nenhuma denúncia.