A estreia de Shark Tank Portugal não foi suficiente para ganhar a MasterChef Portugal, da TVI, contudo ajudou a melhorar as noites de sábado da SIC. O primeiro programa da adaptação norte-americana foi o 7º programa mais visto do dia e o 2º daquele horário. Já o formato do canal de Queluz ficou no 3º lugar do dia, sendo que foi o programa mais visto durante aquele horário.

Shark Tank Portugal teve 25,2% de share e 10,1% de rating. No total, o primeiro programa foi visto por 970 mil espectadores. Já MasterChef Portugal teve 31,3% de share e 12,4% de rating, ou seja, foi visto por um milhão e 197 mil espectadores. A Única Mulher (TVI) foi o programa mais visto do dia, vencendo à líder de audiências Mar Salgado, da SIC.

Publicidade
Publicidade

No final do dia, a TVI foi o canal generalista mais visto, enquanto a SIC ficou em 2º lugar. Apesar do formato do canal de Carnaxide ter perdido no confronto direto, foi o assunto mais comentado da rede social Twitter. Já o formato culinário não entrou nos 10 assuntos mais comentados da rede social. A adaptação do formato norte-americano foi, em geral, bem aceite pelos espectadores. Se na Blasting News teve uma crítica positiva, noutros sites isso não se passou. Contudo, a maior parte dos comentários no Twitter foram positivos e cheios de elogios à adaptação produzida pela Endemol e pela Take&Sound.

Durante os 45 minutos do primeiro programa, foram investidos 565 mil euros em três dos cinco projetos apresentados. O tubarão João Rafael Koehler investiu em dois projetos, sendo um deles dividido com Susana Sequeira.

Publicidade

Também Tim Vieira investiu num dos projetos. De fora, neste primeiro programa, ficaram os tubarões Mário Ferreira e Miguel Ribeiro Ferreira. O programa começou com a apresentação do Sock Buster que, segundo o site oficial do programa, "permite poupar o trabalho de separar as meias depois da lavagem". João Koehler comprou a patente deste produto por 15 mil euros, dando, aos criadores do projeto, 7,5% do valor de cada unidade vendida (os chamados royalties). O mesmo tubarão deu 400 mil euros por 80% da Luso Screen. A ele juntou-se Susana Sequeira que deu 100 mil euros pelos restantes 20%. Os dois tubarões detêm, agora, a totalidade da empresa. O último negócio foi fechado por Tim Vieira. O tubarão injetou, na Comida de Rua, 50 mil euros, o que lhe valeu 45% do negócio. O Museu Erótico e a Barroca do Retiro saíram do Lago sem qualquer investimento.