Anunciado na segunda-feira como sucessor de Jon Stewart, que deixará de apresentar o Daily Show no próximo mês, Trevor Noah foi acolhido no meio com um lacónico "quem é este tipo?". Alguns dos que foram recuperar as piadas do sul-africano no Twitter não gostaram do que viram. O seu humor baseia-se muito na tensão racial entre brancos e pretos. Comedy Central apressou-se a dizer que não quer um novo Jon Stewart.

Quem é, então, Trevor Noah? É um sul-africano, filho de mãe negra e pai branco, de nacionalidade suíça, em pleno apartheid. "Não tive uma vida normal, cresci num país que não era normal", explicou ao New York Times.

Publicidade
Publicidade

Começou por participar em alguns espectáculos de stand-up, passou por alguns programas nos Estados Unidos e fez a sua primeira aparição no Daily Show em Dezembro de 2014, tendo abordado os vários casos de violência policial sobre negros no país do Tio Sam. "Nunca pensei ter mais medo da polícia nos Estados Unidos do que na África do Sul, quase me fez ter saudades dos bons velhos tempos", disse na altura.

Desde então, Trevor Noah apareceu apenas mais três vezes no programa. Daí a surpresa de uma grande parte do público quando foi revelado que era o escolhido para substituir o carismático Jon Stewart. Ele próprio admitiu que, durante algumas horas, "não acreditava" na notícia. "Precisava de uma bebida", disse.

A tarefa de Noah não será fácil. Será quase impossível atingir o nível de popularidade de Stewart, que já aprovou a nomeação do seu sucessor, dizendo que este é "um excelente humorista, com quem todos gostam de trabalhar".

Publicidade

A própria Comedy Central apressou-se a retirar algum peso dos ombros do recém-anunciado apresentador, frisando que não estava à procura de "um novo Jon Stewart", mas sim de um animador com outro estilo.

Ao longo de 16 anos de apresentação, Stewart imprimiu profundamente a sua marca no Daily Show - que já existia antes de ele assumir a liderança - levando o programa ao topo das audiências e tornando-o uma referência a nível internacional, sendo transmitido em inúmeros países (incluindo Portugal, pela Sic Radical).

O humor de Travor Noah, como evidencia um sketch gravado há uns anos em Londres, baseia-se muito nas relações entre brancos e pretos, mas aborda também outros temas, que, segundo o Buzzfeed, não têm agradado muito a alguns internautas, que foram desenterrar alguns tweets antigos do comediante. Um deles dizia: "por trás de cada bem-sucedido rapper bilionário, há um judeu duas vezes mais rico". "Este tipo parece ter um problema com judeus… como é que isso se chama?", questionava um utilizador do Twitter.

Publicidade

Também há alguns comentários controversos sobre as mulheres: "Uma mulher branca com rabo é como um unicórnio. Mesmo que vejas um, provavelmente nunca chegarás a montá-lo" ou "Oh, sim, é fim-de-semana. As pessoas vão embebedar-se e pensar que sou sexy - miúdas gordas em todo o lado".

Em suma, as primeiras impressões não parecem muito positivas, principalmente tratando-se do homem que vai assumir os comandos de um programa que é particularmente apreciado pelas suas posições progressistas. E especialmente porque, como explicou o patrão da Comedy Central numa entrevista ao Hollywood Reporter, os quase dois milhões de seguidores de Noah no Twitter tiveram grande peso na escolha. Mal pensado, diz o site Gawker, que assinala que "Trevor Noah encarna as seis razões pelas quais nunca se deveria escrever no Twitter", sublinhando que uma má piada feita em público é rapidamente esquecida e uma má piada feita na rede social vive para sempre. Está servida a polémica para a estreia do novo anfitrião do Daily Show. #Famosos