Corre por aí um desafio, iniciado pelo chef Mario Batali, que consiste em gastar no máximo 29 dólares (27 euros) em alimentação numa semana. O objectivo deste #FoodBankNYCChallenge é alertar para o esforço que muitas famílias norte-americanas têm de fazer para sobreviver apenas com este valor, recebido através de vales de alimentação disponibilizados pelo Banco Alimentar de Nova Iorque, no âmbito do Programa de Assistência Nutricional Suplementar. Gwyneth Paltrow aceitou juntar-se a esta campanha de sensibilização e até mostrou no Twitter o que conseguiu comprar com a quantia (ver imagem). No entanto, a actriz acabou por ser acusada de falta de sensibilidade perante o problema de milhares de pessoas e até agora tem despoletado dezenas de comentários de revolta nas redes sociais e até nos meios de comunicação social.

Publicidade
Publicidade

O que está em causa é, acima de tudo, a escolha de alimentos de Gwyneth Paltrow, escolha essa considerada irrealista e até condescendente. Segundo a revista Time, a actriz está a fazer "turismo de pobreza", e segundo o Sydney Morning Herald, as escolhas alimentares são "ridículas". De acordo com o Daily Telegraph e o The Frisky, Paltrow não considerou que há famílias a viver com o orçamento de 29 dólares por semana que precisam de maiores índices calóricos. Os jornais apontaram também que a foto publicada no Twitter mostra o equivalente a cerca de 7000 calorias, o que não é suficiente para uma família trabalhadora e/ou com crianças, já para não falar do dispendioso que é comprar frutas e legumes frescos. Nos comentários pelas redes sociais, há ainda quem questione o porquê de se comprar sete limas ou coentros, ou mesmo produtos de marca.

Publicidade

Há ainda quem sugira que a actriz devesse ter doado fundos para a causa em vez de tentar gerar sensibilização desta forma.

Recorde-se que Paltrow é editora do site Goop e guru na área de lifestyle, tendo já causado polémica pelas sugestões luxuosas e extravagantes que apresenta no site, inclusivamente no que respeita a alimentação. Daí que o Washington Post tenha mencionado que a actriz poderá ter confundido este desafio com uma das suas típicas dietas detox.

Ainda assim, se o objectivo era alertar para um problema e gerar contestação, pode-se considerar que Gwyneth Paltrow foi bem-sucedida. Segundo as estatísticas, há 46 milhões de norte-americanos a usufruir dos vales de alimentação e estima-se que cerca de metade não dispõe de meios para adquirir produtos frescos já que vivem nos considerados "desertos alimentares". Para muitas famílias não se trata apenas de uma semana a terem de recorrer à ajuda de 29 dólares para as suas refeições, mas sim de uma vida inteira. Agora, graças a Gwyneth Paltrow, o problema está nas "bocas do mundo". #Famosos