Foram investidos 200 mil euros no programa deste sábado, 25 de abril. O sexto episódio do Shark Tank Portugal teve a apresentação de cinco #Negócios. Desses cinco, três tiveram o sim dos tubarões, que investiram o dinheiro por sua conta e risco. No episódio de hoje, João Koehler e Miguel Ribeiro Ferreira não investiram nos projetos apresentados.

O sexto episódio começou com o pitch de Origama. O casal de empreendedores pediu 100 mil euros por 10% da empresa, avaliando-a em 1 milhão de euros, algo que surpreendeu os tubarões. O produto base da empresa consiste na junção de uma espreguiçadeira, toalha e almofada (fácil de montar), o que acabou por convencer Mário Ferreira, Susana Sequeira e Tim Vieira. Os três tubarões deram 120 mil euros em troca de 30% da empresa. O empresário João Koehler também tentou entrar no negócio com 200 mil euros por 51%, contudo, não foi aceite pelos detentores da Origama.

A segunda apresentação coube ao espaço Tuga Natura, no Barreiro. Carlos Santos mostrou aos tubarões um local que permite combinar, por exemplo, mini-golf, laser tag, um local de turismo ou um espaço de merendas. Contudo, os 10% oferecidos em troca dos 35 mil euros não chegaram para convencer qualquer um dos tubarões. Assim, o empreendedor saiu do lago sem qualquer investimento.

De seguida, cinco amigos entraram no lago para pedir 30 mil euros em troca de 25% do Aqua Vere. Este produto incorpora, na mesma torneira de casa de banho, a água, o sabonete e o secador. Apesar da ideia ter captado a atenção dos tubarões, o custo de produção do produto acabou por assustar os investidores. Contudo, Mário Ferreira gostou do facto da ideia ser patenteada, por isso ofereceu 50 mil euros pela totalidade da patente. O grupo de amigos decidiu aceitar esta oferta, sem fazer uma contra-proposta.

José Oliveira entrou no lago para apresentar o Smart Trailer. O produto consiste num atrelado capaz de carregar 80 quilos. O empreendedor garante que é o único no mundo capaz de aguentar este peso, sendo possível carregar animais, produtos de campismo, entre outros. José pediu 60 mil euros por 20% do produto, com o objetivo de comprar equipamento para produzir o Smart Trailer. João Koehler considerou este produto como um "micro negócio", razão que levou todos os tubarões a ficar de fora (Tim Vieira não concordou com tal consideração, contudo, não investiu por falta de sustentação do produto).

Antes de acabar o episódio, ainda houve tempo para o projeto Mita entrar no lago. Sandra Duarte decidiu produzir um novo tipo de fraldas de algodão anti-alérgicas. Inspiram-se nas fraldas de pano, porém, têm um novo design que permite que sejam mais confortáveis. A empreendedora pediu 20 mil euros em troca de 15% da Mita. Uma vez que todos os tubarões consideraram este projeto um negócio de nicho, apenas Tim Vieira investiu. O tubarão pediu 30 mil euros em troca de 50%, algo que foi aceite pela empreendedora.

O programa Shark Tank Portugal estreou no passado dia 21 de março e, até agora, já foram exibidos 6 dos 13 episódios encomendados para esta primeira temporada. As audiências irão ditar se a segunda temporada se realiza. Até agora, as audiências têm-se mantido estáveis desde o terceiro episódio, algo que agrada a administração do canal. #Televisão