Este sábado o programa Shark Tank foi novamente repleto de ideias inovadoras. A primeira proposta da noite veio de dois médicos que estudaram juntos na Covilhã. Blocomed é a empresa que propõe um produto inovador para médicos inexperientes, que podem treinar algumas técnicas cirúrgicas com as quais não têm contacto durante a formação académica. É um produto concebido de médicos para médicospara dar mais confiança no primeiro contacto laboral. Pediram aos tubarões 15 mil euros por 25% da empresa. Conseguiram investimento do tubarão Miguel, mas a proposta foi 15 mil por 35%.

My Skinmix foi o segundo negócio apresentado por uma dupla, que trouxe um creme personalizado que promete provocar uma revolução na indústria da cosmética.

Publicidade
Publicidade

Dão a possibilidade de personalizar o creme através de 3 simples passos: textura, efeito ou aroma. No final, fica-se com um produto totalmente personalizado e um creme totalmente ao gosto do cliente. Pediram 100 mil euros por 15% do negócio. Pela competitividade da indústria cosmética e pela avaliação exagerada da empresa, os tubarões decidiram não apostar.

Rui Monteiro apresentou a empresa Greatest Candle Oil 2 Wax, o terceiro negócio apresentado. O produto, vendido em sacos, serve para produzir velas artesanais e manuais. É um pó que que se junta a óleos e azeites utilizados em casa, para poder reaproveitar esses óleos, e, assim, produzir uma vela, através da ajuda do microondas - e bastam 2 minutos para se ter uma vela terminada. Apesar das dúvidas que a viabilidade do negócio levantou, Rui conseguiu propostas de todos os tubarões.

Publicidade

No fim, Susana e Miguel apostaram no negócio com 100 mil euros e 50 mil em serviço em troca de 20%

O freelancer Luís Campos, ou O Moço de Recados, rentabilizou o seu tempo livre para conseguir fazer as tarefas de quem não o tem. A falta de disponibilidade dos outros criou um nicho de negócio para o jovem que tinha tempo para puder cumprir as tarefas de terceiros. Ir passear o cão, ir ao supermercado, passar nos correios, esperar por um técnico de reparações em casa... Tudo é quase possível para o Moço de #Negócios. Pediu 20 mil euros por 20% do negócio. Apesar de se terem divertido com a apresentação, os tubarões decidiram não investir por falta de escala no negócio.

República da Pequenada foi apresentadas por dois irmãos do Porto. Por falta de empresas com qualidade para entregarem a educação dos seus filhos, criaram um colégio que acompanha as crianças em tudo. Para além da parte educacional, o colégio tem serviço de transporte, alimentação e actividades extra-curriculares. Tudo para serem facilitadores dos encarregados de educação. A escola está preparada para receber alunos com necessidades educativas especiais e tem docentes formados para lidar com estas crianças. Mário ofereceu 50 mil euros por 15% da empresa, proposta que foi aceite pelos empresários. #Televisão