O cantor e ex- membro da banda "One Direction", que é descendente de uma família muçulmana, tornou-se recentemente rosto de uma campanha de sensibilização anti-terrorista. O jovem participa nesta iniciativa, assumindo um papel de modelo a seguir. O objectivo desta acção de sensibilização consiste em impedir que raparigas adolescentes se juntem às fileiras do Estado Islâmico (EI). Zayn Malik já foi alvo de pressões pelo facto de se ter tornado numa pop star.

A responsável pelo projecto, intitulado "Prevent Engage", acha importante ter alguém nesta campanha com quem as jovens se possam identificar e cujo testemunho as possa fazer entender que existem oportunidades para elas vencerem e terem sucesso no país onde nasceram.

Publicidade
Publicidade

Para a mentora da campanha, o exemplo de Malik pode ser uma boa influência para as adolescentes muçulmanas e espera que o jovem as convença a desistir da hipotética ideia de se tornarem noivas jihadistas.

Este projecto surgiu no seguimento da fuga de 3 jovens, no passado mês de Fevereiro, para a Síria, onde se terão ido juntar ao EI.

A campanha "Prevent Engage" vai levar a cabo uma série de palestras em escolas no este de Londres, zona onde vive uma grande parte da comunidade muçulmana. Zayn Malik irá dar o seu contributo e testemunho, falando das acusações e ataques racistas de que já foi alvo.

O jovem cantor revelou que, nas redes sociais, já foi apelidado de terrorista e que foi posta a circular uma canção escrita por alguém que o acusa de ser o responsável pelos ataques às Torres Gémeas.

Publicidade

Zayn Malik afirma que ignora estas provocações, mas que fica magoado, porque acabam por afectar também as pessoas de quem gosta e lhe são próximas.

As histórias vividas pelo antigo membro dos "#One Direction" pretendem ser uma inspiração para as destinatárias da campanha anti-#Terrorismo.

A escolha desta altura para pôr em prática esta iniciativa prende-se com o facto de Junho ser o mês em que o mundo muçulmano celebra o Ramadão e, por isso, crescem os receios de que muitas adolescentes possam aproveitar esta época, que também coincidirá com férias escolares, para fugirem para países como a Síria e juntarem-se aos grupos terroristas. #Famosos