Sir Christopher Lee morreu na manhã do passado domingo, dia 7, aos 93 anos, no Chelsea and Westminster Hospital, em Londres. Lee foi hospitalizado com problemas respiratórios e paragem cardíaca, mas acabou por falecer. A opção de dar a notícia dias depois da morte do actor foi da esposa que queria informar a família primeiro. O casal estava casado há mais de 50 anos.

Para além da conhecida carreira que fez no cinema, Sir Christopher Lee lançou vários álbuns de Heavy Metal, incluindo "Chalemagne: The Omens of Death". Foi nomeado cavaleiro em 2009 pelos serviços prestados à cultura e à caridade e recebeu ainda uma bolsa Bafta em 2011.

O actor veterano, conhecido pela variedade de #Filmes onde entrou, desde "Dracula", "The Wicker Games" e na trilogia "Lord of The Rings", começou a sua carreira em 1947 no romance gótico "Corridor of Mirrors", mas não foi até ao final da década de 50, quando trabalhava com Hammer, que Lee ganhou fama. O seu primeiro papel em estúdio foi em "The Curse of Frakenstein", o primeiro de 20 filmes que faria com Peter Cushing.

O papel mais famoso que Lee teve enquanto trabalhou com Hammer foi o de Drácula, embora se tenha tornado bastante conhecido por este papel, o actor não estava muito satisfeito com a forma que a personagem estava retratada. "Eles não me deram nada para fazer", disse Lee em 2005 ao Total Film.

Nos anos 70 continuou a ganhar fama com o papel que interpretou em "Wicker Man", um filme de terror que ele considerou ser o seu melhor. Em 1974, fez de vilão em "The Man with the Golden Gun", e recusou um papel em "Halloween" que mais tarde confessou ter-se arrependido dessa decisão.

A sua carreira retornou à ribalta em 2011, onde surge como Saruman em "Lord of The Rings", como Count Dooku em "Star Wars Episode II: Attack of The Clones" e em "Star Wars Episode III: Revenge of the Sith". Tornou-se também colaborador de Tim Burton, que o contratou para "Sleepy Hollow", "Corpse Bride" e "Charlie and the Chocolate Factory", "Alive in Wonderland" e "Dark Shadows".

Contudo, ainda há um filme que não estreou no qual ele entra: "Angles in Nothing Hill", onde ele interpreta uma figura divina, à semelhança de Deus, que olha pelo universo.

"Fazer filmes nunca foi um trabalho para mim, é a minha vida", disse Lee numa entrevista que deu em 2013. #Famosos