Rui Cruz é humorista, guionista, stand up comedian e semifinalista das Olimpíadas da Matemática do Concelho de Arganil de 1998, como o próprio escreve na sua conta oficial do Twitter. Depois da primeira parte desta entrevista exclusiva à Blasting News, prosseguimos com a segunda parte.

3. És um dos cavaleiros do (bom) humor negro que se faz por Portugal. No entanto, esse tipo de humor ainda é muito discriminado e alvo de imensa hipocrisia por parte da sociedade. O que achas que tem que mudar para sermos, de facto, todos "Charlie"?

R: A questão vai além do humor negro. Hoje em dia, vivemos um período de automatização.

Publicidade
Publicidade

Eu costumo dizer que a nossa sociedade é um livro do [George] Orwell: estamos no "Triunfo dos Porcos", mas caminhamos rapidamente para "1984". Instalou-se na nossa sociedade o politicamente correto. Toda a gente tem medo de ser diferente, de pensar de maneira diferente ou de dizer o que realmente pensa. Existe muito medo. Por isso, hoje, louvamos a mediocridade.

E, apesar disto ser abrangente a todos os setores da sociedade, na comédia tem-se notado muito. Por isso é que, hoje, a comédia e os comediantes são alvos de artigos e crónicas nos jornais, por isso é que há tantos "debates" sobre os limites do humor nas Tv's. Há uns anos havia espaço para o experimentalismo e para puxar os limites, como fizeram os The Beatles na música, mas hoje toda a gente quer uma arte inócua, que não chateie ninguém nem levante muitas ondas, porque assim não temos de pensar muito, andamos mais entretidos e os governos podem continuar a implementar o seu modelo até chegarmos ao Grande Irmão.

Publicidade

Ser "Charlie" foi giro naquele período, porque era de bom tom ser, como foi de bom tom meter a foto de perfil cor de rosa pela princesa Nonô, mas mais nada. A sociedade não defende a liberdade de expressão, nem vai tão cedo. Aliás, o caminho que está a percorrer leva a tudo menos isso.

4. Com certeza já foste alvo da fúria popular. Queres indicar algumas das melhores reclamações que já recebeste?

R: Já recebi várias, sim. A que mais gostei foi a de um deputado do CDS que me mandou mensagem privada a exigir que eu apagasse posts com piadas sobre o partido. As piadas estão lá na mesma. Também recebi ameaças de morte e de porrada de escoteiros, vegans, feministas, pessoal de extrema direita, esquerda e claques de futebol. Mas a mais comum é "devias ter um filho com cancro/síndrome de down/com SIDA/gay/com Parkinson/preto/com três pernas/ para veres como elas custam".  #Entretenimento