A conversa que já dura há 5 anos sobre as guerras de sexo na série "Guerra dos Tronos" atingiu recentemente um pico. São cada vez mais recorrentes as críticas sobre a violência e as discriminações, mas existem explicações. Há que ter em atenção que a HBO introduz novas cenas e elementos que não constam nos #Livros, como por exemplo a violação de Sansa Stark, mas a verdade é que a série em si já atribuiu diversas características diferentes das idealizadas pelo autor, assim como já criou novas sequelas e enredos, como é o caso da luta entre Brienne e The Hound, para cumprir a promessa que ela tinha feito a Catelyn, que não existe nos livros.

Numa entrevista dada ao site Entertainment Weekly, Martin explica que esta saga é baseada no seu fascínio de longa data pela Europa medieval e adianta ainda que não devemos usar a nossa história como base da história do autor, isto porque há muitas pessoas a criticarem o facto de Westeros não ser um lugar real.

Publicidade
Publicidade

Martin diz que os livros refletem uma sociedade patriarcal baseada na Idade Média onde não havia igualdade entre os sexos, ao mesmo tempo que dividia a sociedade em classes, inserindo assim as pessoas em três grupos diferentes.

A verdade é que, até nos dias de hoje, em pleno século XXI, as mulheres sofrem com a discriminação, não tanto como na Era Medieval, e para o escritor isso tem que estar explícito nas suas histórias. O intuito do autor dos bestsellers era que todas as suas obras fossem baseadas na História e que dessem a conhecer como era a sociedade medieval, mas claro com um pouco de ficção e fantasia à mistura. Assim, ele faz um contraste um tanto ou quanto agressivo às histórias da Disney, onde são criados mundos de sonho com princesas e cavaleiros de espada erguida para salvar a sua amada.

Publicidade

Segundo o autor dos livros, milhares de leitores do sexo feminino adoram as suas obras e os personagens femininos, sendo a Cersei a mais adorada apesar dos seus defeitos evidentes. Em a "Guerra dos Tronos", tanto na televisão como nos livros, existe o problema da violência sexual pela qual Martin é bastante criticado, mas a verdade é que ele está escrever sobre guerras e não quer criar cenários apenas de guerras vitoriosas, com heróis a matarem os Ogres, mas sim contar um pouco do que se passou na vida real e "as violações, infelizmente, estavam implícitas nas guerras", adianta o escritor. #Televisão #Séries