Miley Cyrus lançou uma nova campanha para promover a sua fundação "Happy Hippie Foundation". Depois da Backyard Sessions, a cantora fez uma parceria com o Instagram e criaram o "InstaPride", que foi lançado nas plataformas nesta segunda-feira. Esta campanha surgiu com o intuito de mostrar ao mundo histórias de transexuais e transgéneros que são alvos, muitas das vezes, de exclusão social. A campanha foi anunciada através da conta oficial do Instagram de Miley Cyrus e no Facebook. Durante duas semanas serão publicadas fotografias e testemunhos nas redes sociais.

Leo Sheng, um jovem de 19 anos e estudante de cinema, foi o primeiro a colaborar e tem vindo a registar a sua mudança de sexo. O jovem inaugurou a campanha posando ao lado de Miley Cyrus. "O tema mais óbvio da minha página é a minha transição do sexo feminino para o masculino", escreveu Sheng numa publicação no blogue do Instagram.

O jovem diz que para ele "uma imagem realmente diz mais do que mil palavras", porque a sessão fotográfica realizada com e pela cantora lhe deu espaço para esmiuçar a experiência com a sua própria imagem e de se sentir mais à vontade com a mesma, visto ser aquilo que sempre quis.

Nessa mesma publicação no blogue, o estudante de cinema confessa que costumava ter medo de partilhar fotografias que tirava durante as várias etapas da sua vida e passou a guardar as suas "selfies" longe de tudo e de todos, porque nem todos o aceitavam como era. Sheng sentia-se rapaz num corpo de menina, pelo que lutou para mudar de sexo e foi registando todas essas etapas.

A estrela da Pop disse à revista Time que a imagem da sua campanha, nomeadamente as fotografias que são tiradas aos que decidiram dar a cara e o seu testemunho, "foram feitas para servirem de exemplos positivos para os jovens que poderão estar a lutar para mostrarem quem realmente são, sendo também pontos de referência para aqueles que não conhecem ninguém em particular que não se sinta 'em casa' no seu próprio corpo".

Miley Cyrus diz ainda que "qualquer pessoa devia poder exprimir como se sente, sem ser questionado e devia poder viver". A cantora vai mais além e diz: "Eu posso estar em palco com o peito de fora. É muito injusto que me seja permitido isso e que dois homens não se possam casar". #Famosos #LGBT #Causas