Os pais de Angélico Vieira e outros dois réus foram condenados a pagar uma indemnização de 117 mil euros aos progenitores de Hélio Filipe, a segunda vítima mortal do #Acidente, que ocorreu em junho de 2011. O Tribunal Cível de Aveiro deu como provado que o cantor foi o culpado do despiste, que aconteceu na A1, na zona de Santa Maria da Feira, devido à velocidade a que seguia. Quatro anos depois, esta foi a primeira decisão de um tribunal relativamente às vítimas do acidente e quanto às causas do mesmo, mas ainda é passível de recurso.

Num processo cível, o Tribunal de Aveiro considerou que a velocidade excessiva a que seguia Angélico Vieira foi a causa para o despiste, que, além de vitimar mortalmente o cantor e Hélio Filipe, ainda deixou sequelas graves e permanentes na jovem modelo Armanda Leite.

Publicidade
Publicidade

De acordo com a investigação levada a cabo pelas autoridades, Angélico Vieira seguia a uma velocidade superior a 206 quilómetros por hora, quando o máximo legal permitido em Portugal é de 120 quilómetros/hora. A mãe do cantor, Filomena Vieira, sempre defendeu que o despiste se ficou a dever ao mau estado dos pneus, que não apresentavam condições de segurança para a circulação. A progenitora alegou ainda que o filho era muito cuidadoso na estrada e que não costumava acelerar, principalmente quando conduzia com outras pessoas. Contudo, um mês antes do acidente, o cantor deixou-se filmar num vídeo a guiar a alta velocidade.

A decisão do Tribunal de Aveiro conhecida esta segunda-feira é ainda válida para os réus Fundo de Garantia Automóvel, uma vez que o veículo não tinha seguro, e Impocar, o stand onde Angélico Vieira foi buscar o carro de marca BMW.

Publicidade

Durante a fase de julgamento, Filomena Vieira argumentou ainda que o carro não pertencia ao filho, mas antes tinha sido emprestado pelo dono do stand, numa prática que era normal, em troca de publicidade. Já Hugo Pinto, o único sobrevivente do acidente, afirmou que os quatro jovens seguiam tranquilos e a conversar quando se deu o acidente.

As decisões quanto a este acidente ainda não se ficam por aqui. Armanda Leite, que ficou tetraplégica na sequência do acidente, já interpôs um processo onde pede uma indemnização de quase seis milhões de euros. Mais uma vez os pais de Angélico, o dono do stand e o Fundo de Garantia Automóvel voltam a sentar-se no banco dos réus.

Angélico Vieira faleceu a 25 de junho de 2011 no Hospital de São João, no Porto, após alguns dias internado. O cantor tinha 29 anos e além de ter feito parte da banda de êxito D'ZRT, deu ainda cara por várias personagens em novelas da TVI. O seu nome fica para sempre associado à atriz Rita Pereira, com quem namorou alguns anos. #Justiça