Andar de avião nem sempre é fácil, mas e então caso alguém seja preso no nosso voo minutos antes de descolar é mesmo de suspirar. Foi isso que aconteceu com o actor português Heitor Lourenço, que foi preso no aeroporto de Orly, em França, por suspeitas de ser um terrorista pertencente ao estado islâmico. Os restantes passageiros suspeitaram de que Heitor estaria a ler o Corão e que o tempo que cronometrava seria o que restava para fazer explodir uma bomba. Levado pelas autoridades, o actor teve de explicar durante seis horas quem era e porque suspeitaram de si.

O actor, que dá vida a Moisés na série Bem-vindos a Beirais, da RTP1, Heitor Lourenço, não ganhou para o susto depois de uma deslocação breve a França para assistir a alguns espectáculos.

Publicidade
Publicidade

Aos 47 anos, o actor foi detido pelas autoridades depois de ter sido confundido com um terrorista, estando em interrogatório durante seis horas.

De acordo com o português, o avião da Transavia, que o traria até Lisboa, estava atrasado e então começou, antes de embarcar, a fazer meditação com um cronómetro e a recitar em tibetano. Os passageiros tiveram todos de desembarcar e "quando ponho os pés nas escadas do avião, os passageiros estavam todos a olhar para mim. Depois apareceram dois polícias que me puseram no carro e me levaram para a esquadra", escreve o Jornal de Notícias citando o actor.

Na esquadra, Heitor Lourenço conta que lhe informaram que tinha "sido denunciado por suspeitas de #Terrorismo a bordo e que tinha estado a recitar o Corão em voz alta, a dizer um texto que envolvia a palavra morte e bomba.

Publicidade

Acharam, portanto, que era um terrorista e suspeitaram de uma ameaça de bomba", segundo escreve o Notícias ao Minuto.

O actor conta ainda que durante as horas que permaneceu em interrogatório tentou explicar às autoridades quem era, dizendo-lhes que "tenho uma profissão pública. Sou relativamente conhecido no meu país. Porque é que não fazem uma pesquisa no Google?". Foi assim que o identificaram como budista, garantindo de seguida que o caso seria arquivado.

Quanto ao homem que o denunciou, Heitor confessa que "ficámos amigos", acrescentando que de início este senhor, que viajava com o filho e os pais, não se sentia confortável por conhecer o actor português, mas que depois a polícia incentivou-o a conhecerem-se. O actor refere ainda que espera que esta história alerte as pessoas para que, no momento difícil que vivemos, notem que "as autoridades funcionam". E refere não guardar rancor de quem o denunciou porque "aquele pai que me denunciou tinha os seus alertas a funcionar". #Famosos #Religião