Quatro dias depois de ter sido detido pela polícia, juntamente com o seu irmão gémeo, o DJ Sérgio Delgado, o actor Marco Delgado escreveu um comunicado para esclarecer o assunto. Reconhece que tem como “hobby” o jogo de Poker, mas nega ser viciado. O comandante da GNR na novela “Santa Bárbara”, da TVI, refere que estava numa “casa particular” com um grupo de pessoas, aquando da operação policial. Desmente que se tratava de um casino clandestino nem de local de realização de qualquer outra actividade. Diz-se “profundamente indignado e revoltado” com algumas notícias publicadas e garante que agirá “em conformidade e junto das instâncias próprias” face a “todas e quaisquer mentiras” que forem ditas sobre si.

Publicidade
Publicidade

O caso remonta ao dia 25 de Novembro quando a Divisão da PSP de Oeiras, em colaboração com a Unidade Especial de Polícia (UEP), levou a efeito uma operação numa moradia de 3 pisos, “exclusivamente utilizada para a exploração e prática do jogo ilícito, nomeadamente o jogo de Poker”, refere a PSP, adiantando que aquela operação resultou de uma investigação “com cerca de 6 meses”. No âmbito daquela operação, designada por “Full House”, foram detidos 29 homens e 4 mulheres, suspeitos de vários crimes, como jogo ilegal e exploração ilícita de jogo, lenocínio, e tráfico de estupefacientes. Na mesma ocasião, os policiais apreenderam vários computadores e vídeo projectores, 5 mesas de jogo, baralhos de cartas, 175 fichas de jogo representando milhares de euros, diverso produto estupefaciente e 3.500 euros em dinheiro.

Publicidade

Marco Delgado, que juntamente com o seu irmão Sérgio, foi um dos detidos naquela operação publicou neste domingo, 29 de Novembro, um comunicado na sua página do Facebook "para que se pare com toda a especulação à volta do caso". 

 

O actor reafirmou que há cerca de 5/6 anos tem como “hobby” o jogo de Poker, mas sem “qualquer vício de jogo”. Refere que “ocasionalmente” joga nos casinos de Lisboa e do Estoril e, “esporadicamente” encontra-se com outros jogadores em casas particulares. Aliás, afirma que foi isso que aconteceu aquando da operação policial. Um espaço privado onde se reunia um grupo de pessoas, jogadores de Poker, que para o efeito pagavam uma inscrição de 40 euros.

O intérprete de Rui Lagos, comandante da GNR de Santa Bárbara, nega que ali se praticasse outro tipo de jogo ou outra espécie de actividades: “não existia nenhum clube de swing! Não se traficava droga! É totalmente falso!”, frisa. Marco Delgado assume que foi constituído arguido no âmbito do processo “Full House” estando “indiciado tão somente pela prática de jogo ilícito”. O actor garante que aguardará com tranquilidade “os trâmites legais e a resolução do processo”.

  #Televisão #Crime