Ao discursar, na passada segunda-feira, no evento “Mulheres do ano” da revista Glamour, em Nova Iorque, onde se encontrava a receber um prémio em nome da sua produtora Pacific Standard, Reese Witherspoon partilhou a sua opinião sobre o sexismo em Hollywood.

"Eu espero, Amy Schumer - e todas as restantes e incríveis nomeadas - que um dia me cedas os #Direitos para produzir o teu primeiro filme biográfico", disse. "Embora, Amy, eu sendo cinco anos mais velha que tu, irei provavelmente ter que fazer, segundo os padrões de Hollywood, o papel de tua avó no filme, e tu provavelmente irás ter que fazer da tua própria mãe", abordando assim subtilmente e em tom de graça o tópico quente em Hollywood que é a idade e o envelhecimento no feminino em Hollywood (lembramos que Maggie Gyllenhaal foi considerada demasiado velha para, aos 37 anos de idade, interpretar o papel de uma parceira amorosa com 55 anos).

Publicidade
Publicidade

Reese falou também sobre produzir projectos numa perspectiva mais feminina. "Filmes centrados nas mulheres não são um projeto de serviço público. Eles são um produto de grande financiamento e investimento", disse, dando como exemplo dois projectos de grande sucesso de bilheteira produzido pela Pacific Standard: Gone Girl e Wild.

"Senhoras e senhores, acho que estamos a viver uma crise cultural em todos os sentidos, em todos os setores da industria. As mulheres, que ocupam lugares de liderança, são sub-representadas e mal pagas", acrescenta Witherspoon no final do seu discurso. "Não me admira que não tenhamos os serviços de saúde que merecemos ou que nos seja atribuída licença de maternidade ou que seja dado acesso ao ensino público na educação infantil. E é isso o que realmente me preocupa.

Publicidade

Como podemos esperar que a legislação seja garantida com base os nossos direitos e necessidades, se não temos uma representação igual? ""Eu acredito que a ambição não é uma palavra feia. É só acreditar em nós mesmas e nas nossas habilidades. Imaginem o seguinte: O que aconteceria se fôssemos todos corajosos o suficiente e acreditássemos na nossa própria capacidade de ser e fossemos um pouco mais ambiciosas? Eu acho que o mundo iria mudar." #Famosos #Cinema