O Carnaval do Rio de Janeiro é o mais famoso do mundo e milhões de pessoas assistem pela TV ao desfile das escolas de samba pelo Sambódromo. A Globo transmite com exclusividade este desfile há décadas, mas no ano passado começou o descontentamento de algumas escolas. O canal, para não ter que mexer na sua programação, decidiu em 2015 não transmitir o desfile da primeira escola de cada dia, transmitindo apenas partes do desfile.

Este ano a ideia é mais ousada: fazer com que a transmissão começasse só às 23 horas locais, o que implicaria a não transmissão das duas primeiras escolas. Esta sugestão aumentou o mal-estar entre a Globo e as escolas, já que seriam atingidas algumas das maiores escolas, como a Salgueiro ou Unidos de Vila Isabel, e existiram até ameaças de não entrar na Avenida na hora marcada.

Publicidade
Publicidade

A Globo sugeriu ainda que o desfile começasse mais tarde ou que menos escolas desfilassem, mas nenhuma das sugestões foi aceite.

A proposta da Globo para os próximos anos é diminuir o tempo de desfile de cada escola de 80 para 65 minutos, o que iria provocar que o número de carros alegóricos diminua de 8 para 6 e que as pessoas a desfilar também sejam menos.

Muitos dirigentes manifestaram-se nas redes sociais e chegaram a afirmar que o valor pago pela Globo não cobre um quinto do que as escolas pagam para desfilar na Avenida. Mas outros afirmaram que o contrato entre o canal e as escolas está estabelecido há anos e será difícil de alterar: "Esta é uma decisão que envolve um contrato e penalidades comerciais do qual são signatárias as 12 escolas do Grupo Especial. Não se trata de não querermos, mas simplesmente de não existir no contrato uma forma de modificar este formato de transmissão através de qualquer iniciativa nossa.

Publicidade

E este formato de transmissão não foi criado este ano. Os moldes do contrato entre escolas de samba e Rede Globo também não, pois foram estabelecidos há anos", lia-se no comunicado dos dirigentes da Escola Unidos de Vila Isabel.

Os protestos para que o canal volte atrás com a decisão continuam, esperando que, à semelhança do ano passado, a Globo não transmita apenas a primeira escola. #Entretenimento #Televisão #Carnaval