A SIC estreou esta segunda-feira, 18 de abril, o programa E se fosse consigo?contando com Conceição Lino como apresentadora. Este novo formato da estação de Carnaxide pretende chamar à atenção para problemas banais dentro da sociedade portuguesa, mas que muitas vezes são ignorados. 

O programa inicial tratou de um assunto que não deixa ninguém indiferente, tanto para concordar ou discordar da sua existência: o racismo, dando mais atenção à situação de casais inter-raciais. 

Para expor este problema, a organização do programa encenou uma situação em que uma adolescente apresenta pela primeira vez o namorado (negro) ao pai.

Publicidade
Publicidade

Os actores convidados faziam parte da ACT - Escola de Actores e tinham como objectivo agir como se estivessem num café, com o pai a discordar do namoro da filha, uma vez que o companheiro é negro e a cor da sua pele acarretaria muitos problemas para o futuro da jovem.

A cena decorreu, não num cenário, mas num café real, sem informar as pessoas presentes de que se tratava de uma representação. Durante os dois dias que os actores estiveram no local, as pessoas, na sua maioria, mostraram-se incomodadas e perplexas pela acção do homem, mas apenas uma pessoa foi capaz de se dirigir ao actor e dizer-lhe que o seu comportamento era inadmissível. A grande parte das pessoas apenas consolaram os dois jovens quando o pai (actor) saía da cena. 

Os problemas trazidos à tona pelos actores e alguns convidados, que deram o seu testemunho na primeira pessoa, sublinhavam principalmente a questão de ser negro e as implicações profissionais que a cor da pele pode trazer.

Publicidade

Entre os convidados estava Hélder Amaral, deputado do CDS, que partilhou a sua história como deputado de pele negra, embora o seu tom de pele não seja escuro. O deputado contou que muitas vezes, por ser negro, foi identificado como sendo motorista, visto que nos eventos Amaral ia vestido de fato e gravata, mas como é negro as pessoas associavam-no a um estatuto profissional mais baixo. O deputado mencionou também que viveu situações de racismo, mas que desde que ficou conhecido como figura política essas situações deixaram de existir.

Conceição Lino não deixou de pedir a opinião dos futuros adultos - as crianças. A apresentadora dirigiu-se a uma escola e perguntou aos mais pequenos se acham que a beleza e a bondade são medidas pelo tom da pele de uma pessoa. A maioria das crianças, ao ter de escolher entre uma boneca negra e uma boneca branca, preferiu a boneca branca e apontaram-na como sendo mais bonita e mais bondosa. 

O programa desta segunda-feira mostrou que os preconceitos ligados ao racismo ainda permanecem dentro da sociedade portuguesa e que é preciso discuti-los. #Televisão