À quinta semana do concurso da TVI “MasterChef Júnior”, Pedro Jorge foi eliminado da prova. A sua saída do programa televisivo, na noite deste domingo, 20 de Junho, não deixou o país indiferente. Até porque o jovem de 9 anos oriundo de Coruche “apaixonou o país” logo no primeiro episódio do concurso de culinária. A eliminação de Pedro Jorge tem sido motivo de conversa e de debate nas redes sociais, tendo-se tornado no assunto mais comentado no Twitter, na noite de domingo.

A personalidade engraçada, bem disposta, alegre e de “bom cozinheiro” do Pedro Jorge, fez com que desde o primeiro episódio as pessoas ficassem “presas” ao ecrã da #Televisão ao domingo à noite para assistir ao “MasterChef Júnior”.

Publicidade
Publicidade

No entanto, a situação mudou de figura a partir do momento em que o jovem concorrente, de Coruche, foi eliminado por decisão dos jurados Manuel Luís Goucha, Rui Paula e Miguel Vieira. A expulsão do rapaz gerou, de imediato, uma onda de indignação e de revolta que inundou as redes sociais. O assunto chegou a ser o mais comentado no Twitter em Portugal durante a noite de domingo ao ponto de, nesta segunda-feira, ainda se mantinha nos “trending topics” portugueses.

Recorde-se que logo na estreia do programa, Pedro Jorge cativou os muitos portugueses que assistiram ao “MasterChef Júnior”, tendo o seu vídeo transformado viral nas redes sociais. O jovem “cozinheiro” de Coruche entrou na cozinha aos cinco anos pelas mãos da sua mãe, que o inscreveu, a seu pedido, no concurso da TVI. Ser cozinheiro é um sonho que Pedro Jorge pretende concretizar, sobretudo para poder confeccionar os seus pratos de carne, já que o jeito para as sobremesas não lhe é muito favorável.

Publicidade

Para além de mestre de culinária, pretende ser médico para poder ajudar as pessoas e ao mesmo tempo ganhar um dinheiro extra, tal como revelou num programa televisivo.

No seu blogue, o apresentador e jurado do programa, Manuel Luís Goucha refere-se a Pedro Jorge, como o concorrente que “mais tocou os portugueses que acompanham o programa”, devido, em grande parte, ao seu “jeito bonacho e espontâneo”. “Mas cedo percebemos as suas fragilidades na confecção de outros produtos que não fossem a tão estimada ‘chicha’”, afirma o apresentador, reforçando que numa competição são premiados os melhores, “independentemente da personalidade de cada um”.