Um rapaz de 15 anos morreu na manhã desta segunda-feira, 16 de Janeiro, ao ser colhido por um comboio numa passagem de nível. O trágico acidente ocorreu quando Rúben Pinto atravessava a principal linha ferroviária do país para embarcar num comboio para ir para a escola.

Publicidade
Publicidade

Rúben Pinto foi colhido por um Alfa Pendular que fazia a ligação entre o Porto e Lisboa. A morte do adolescente deixou em estado de choque a comunidade, amigos e família.

A tragédia aconteceu no apeadeiro de Carvalheira – Maceda, no distrito de Aveiro, a pouca distância da casa de habitação do jovem de 15 anos. Ainda não eram 8 horas da manhã desta segunda-feira, 16 de Janeiro, e Rúben Pinto cumpria a rotina diária de ir apanhar o comboio para viajar até Espinho, onde frequentava o 9º ano de escolaridade na Escola Básica 2,3 Sá Couto.

Jovem não se terá apercebido da passagem de comboio rápido sem paragem
Jovem não se terá apercebido da passagem de comboio rápido sem paragem

O adolescente estaria a atravessar a Linha do Norte, terá avistado um comboio parado, mas não se apercebeu da passagem do Alfa Pendular, sem paragem.

O estudante foi colhido e terá tido morte imediata. Quando os operacionais dos Bombeiros Voluntários de Esmoriz chegaram ao local já nada podiam fazer. Ainda foi accionada uma Viatura Médica de Emergência e Reanimação (VMER) do Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM), mas o médico elemento da tripulação, limitou-se a certificar o óbito.

Publicidade

A informação foi prestada pelo segundo comandante daquela corporação de bombeiros. Óscar Alves disse aos jornalistas que o jovem terá sido colhido acidentalmente pela composição ferroviária. No outro lado da linha férrea estaria parado um comboio, e Rúben Pinto, ao atravessar a passadeira, não se deve ter apercebido da circulação de um outro comboio em sentido contrário, colhendo-o, afirma o operacional.

Ao saber do trágico acidente, foram muitos os populares que se deslocaram ao local, assim como a mãe, o padrasto e o padrinho de Rúben Pinto, que ficaram em estado de choque.

Para além dos elementos dos Bombeiros Voluntários de Esmoriz e da VMER do INEM, afecta ao Hospital de Santa Maria da Feira, foram mobilizados, ainda, militares da Guarda Nacional Republicana e elementos da empresa pública Infraestruturas de Portugal, responsável pelas linhas ferroviárias do país. A circulação de comboios, naquele troço da Linha do Norte, efectuou-se de forma condicionada, através de uma só via, durante cerca de uma hora.

Leia tudo