Pelas 09.00 horas da manhã desta segunda-feira (13 de Fevereiro), em Cortegaça, um cidadão alertou a Guarda Nacional Republicana (GNR) de Esmoriz para o facto de quatro indivíduos suspeitos estarem a colocar matrículas falsas numa viatura junto a uma loja de compra e venda de ouro.

Publicidade
Publicidade

A GNR prontamente enviou duas patrulhas ao local para averiguar a situação. Quando se depararam com os suspeitos, junto a um veículo, um dos militares, que se terá aproximado da viatura para fazer uma abordagem dos suspeitos, terá sido mesmo ameaçado com um caçadeira, segundo avançou a edição on-line do Notícias ao Minuto.

Ao se aperceberem da presença policial, de imediato, os suspeitos tentaram colocar-se em fuga, durante a qual tentaram ainda atropelar os militares.

Mais um militar da GNR ameaçado no cumprimento do dever
Mais um militar da GNR ameaçado no cumprimento do dever

Um tiro de advertência da GNR foi disparado para tentar parar a viatura, mas o condutor não parou. Posteriormente, os militares dispararam quatro vezes para os pneus da viatura, conseguindo a imobilização do veículo. Mas os suspeitos deixaram o carro e colocaram-se em fuga a pé.

Logo uma caça ao homem teve início e a guarda, pouco tempo depois, deteve um dos fugitivos nas proximidades do apeadeiro de Cortegaça. Entretanto, cerca de uma hora depois, foram detidos mais dois, quando se dirigiam para o apeadeiro de Paramos.

Publicidade

Duas horas depois, finalmente foi detido o último suspeito que se encontrava em fuga, apanhado quando também se dirigia para o apeadeiro de Paramos.

Os quatro suspeitos têm idades compreendidas entre os 17 e 36 anos, e foram detidos pela posse de arma proibida e por conduzirem sem habilitação legal para tal. A viatura que os alegados assaltantes tinham usado foi apreendida pela GNR. Também a caçadeira de canos serrados utilizada para ameaçar o militar e as duas matrículas falsas foram apreendidas.

As investigações deste caso transitaram da GNR para a Polícia Judiciária (PJ), a quem foram entregues todos os detidos. Aguarda-se agora a ida dos suspeitos a tribunal para que sejam conhecidas e aplicadas as devidas medidas de coacção.

Leia tudo