A velocidade não adequada ao piso escorregadio deverá estar na origem do violento #Acidente que ocorreu na tarde deste domingo (11 de Março) na via rápida que liga Guimarães a Fafe, no distrito de Braga. Tratou-se de uma colisão, envolvendo três automóveis ligeiros, que provocou a morte de um jovem de 20 anos. Há o registo, ainda, de mais sete feridos, quatro dos quais em estado considerado grave. Dois casais, pais de três crianças, de 9 meses, 4 e 7 anos de idade, que sofreram ferimentos ligeiros. As causas estão a ser apuradas pelas respectivas autoridades policiais.

A tragédia aconteceu poucos minutos antes das 17 horas na designada variante que liga Guimarães e Fafe, em São Romão, freguesia de Arões, no concelho de Fafe.

Tudo leva a crer que um dos veículos terá entrado em despiste, alegadamente devido ao mau tempo que deixou o piso escorregadio, embatendo posteriormente em dois outros veículos automóveis ligeiros de passageiros. Quando os primeiros #Bombeiros chegaram ao local, depararam-se com uma vítima em paragem cardiorrespiratória, tendo iniciado de imediato as manobras de suporte básico de vida que se revelaram infrutíferas. Tratava-se de um jovem de 20 anos, conhecido na região por “Brasileiro”, cujo óbito foi declarado no local pelo médico da Viatura Médica de Emergência e Reanimação (VMER) do Instituto Nacional de Emergência Médica (#INEM).

Os operacionais socorreram ainda dois homens e duas mulheres, com ferimentos considerados graves, bem como três crianças: uma bebé de nove meses, uma menina de quatro anos e outra de sete.

Vídeos destacados del día

Todos os feridos foram transportados ao Hospital de Braga e ao Hospital da Senhora da Oliveira, em Guimarães. Para facilitar as operações de socorro, aquela via rodoviária de Fafe esteve com a circulação automóvel interrompida durante várias horas, fazendo com que o trânsito fosse efectuado de forma condicionada através de estradas alternativas.

Tudo leva a crer que na origem do violento acidente estiveram factores relacionados com a conjugação da velocidade excessiva e o piso escorregado, devido à chuva que assolou a região. Contudo, só o relatório final do Núcleo de Investigação a Acidentes de Viação da Guarda Nacional Republicana poderá esclarecer as causas e em que circunstâncias ocorreu aquele violento e trágico acidente. Nas operações de socorro estiveram cerca de meia centena de operacionais das corporações dos bombeiros de Fafe, Guimarães e Taipas, do Instituto Nacional de Emergência Médica e da Guarda Nacional Republicana, auxiliados por cerca de 20 viaturas.