O Itinerário Complementar nº 2 (IC2, ex-EN1) voltou a fazer vítimas às portas da cidade de Coimbra. Desta vez, três pessoas que viajavam no mesmo automóvel morreram na sequência de uma violenta colisão frontal entre dois automóveis ligeiros. A condutora do veículo sobreviveu, apesar dos ferimentos graves que sofreu. Do Acidente resultou ainda um ferido ligeiro, condutor do segundo automóvel. Há, ainda, o registo de envolvimento de um veículo pesado de mercadorias, cujo motorista saiu ileso.

Publicidade
Publicidade

O alerta chegou ao Comando Distrital das Operações de Socorro (CDOS) de Coimbra, da Autoridade Nacional de Protecção Civil (ANPC), por cerca das 13:40 horas desta quarta-feira, 7 de Dezembro. Designadamente para o quilómetro 184 do IC2, na zona de Antanhol, às portas da cidade de Coimbra. Um automóvel ligeiro de passageiros que viajava no sentido Condeixa-a-Nova – Coimbra (Sul-Norte) era ocupado por quatro pessoas, todas da mesma família, com idades entre os 55 e os 70 anos.

Acidente ocorreu numa zona do IC2 com grande sinistralidade rodoviária
Acidente ocorreu numa zona do IC2 com grande sinistralidade rodoviária

Tudo indica que terá sofrido um embate provocado por um pesado de mercadorias que, proveniente de uma estrada secundária, se preparava para entrar no IC2. O embate fez com que o ligeiro de passageiros perdesse o controlo, invadisse a faixa rodoviária contrária, chocando frontalmente com um outro automóvel que viajava no sentido contrário.

Três dos quatro ocupantes do veículo acabaram por morrer. Trata-se de dois homens e uma mulher, com idades compreendidas entre os 55 e 70 anos e eram residentes numa localidade próxima do local do acidente.

Publicidade

A condutora do automóvel, uma mulher com cerca de 60 anos, sofreu ferimentos considerados graves, tendo sido transportada para o Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra. O condutor do segundo automóvel também foi transportado para a mesma unidade hospitalar, com ferimentos ligeiros.

Devido à colisão, a circulação rodoviária naquela principal estrada do país esteve interrompido, em ambos os sentidos, até quase final da tarde, com o trânsito a ser desviado para o antigo troço da EN1, que atravessa as povoações.

Nas operações de socorro estiveram envolvidos mais de três dezenas operacionais auxiliados por 14 veículos, dos Bombeiros e do Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM). As causas do acidente estão a ser investigadas pela Guarda Nacional Republicana.

Leia tudo e assista ao vídeo