2

O dia de devoção à Senhora da Moita, na pequena aldeia de Gondelim, no concelho de Penacova, ficou marcado pela tragédia. Mais de uma centena de pessoas estava reunida no interior da igreja local quando a carga de foguetes, preparada para os cinco dias de festa, explodiu causando o pânico geral. Um dos trabalhadores da empresa de pirotecnia morreu, um jovem com idade entre os 20 e os 30 anos, e cerca de três dezenas de pessoas ficaram feridas, entre as quais cinco crianças. O caso está a ser investigado pela Polícia Judiciária.

Dupla explosão durante a missa

Foi um início de tarde trágico no primeiro dia dos tradicionais festejos de Nossa Senhora da Moita, em Gondelim, que habitualmente junta centenas de pessoas da região.

Tudo aconteceu por cerca das 12h30 desta quarta-feira, 4 de Abril. A missa que se celebrava na igreja da aldeia estava a chegar ao fim e os fiéis preparavam-se para integrar a procissão abrilhantada pela banda filarmónica de Coja. No exterior, o material pirotécnico estava preparado para saudar o regresso da padroeira à capela após a procissão. O programa das festas anunciava para a meia-noite o lançamento de “fogo de artifício bem carregado”. Porém, algo correu mal e ocorreram duas explosões, a segunda mais intensa que a primeira, segundo relataram algumas testemunhas.

Quem ali estava entrou em pânico, com as pessoas a gritarem por socorro. Foi a confusão total. Quem estava mais próximo do local onde estava armazenado o fogo foi quem sofreu mais. Um dos técnicos da empresa de pirotecnia, com idade entre os 20 e os 30 anos, morreu ali mesmo, enquanto um dos seus companheiros de trabalho foi transportado para o Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra em estado crítico.

Vídeos destacados del día

As autoridades registaram, ainda, mais três feridos em estado grave e perto de 30 considerados ligeiros. Na lista das vítimas constam cinco crianças, com idades entre os 5 e os 16 anos, enviadas para o Hospital Pediátrico de Coimbra.

Presidente da República visita feridos

Foram vários os meios de socorro que foram accionados para o local. A médica Paula Neto, da Delegação Regional do Centro do Instituto Nacional de Emergência Médica (#INEM) disse aos jornalistas que as vítimas consideradas mais graves sofreram queimaduras e situações de trauma grave. Um dos feridos críticos foi transportado para os Hospitais da Universidade de Coimbra de helicóptero. Durante a tarde, o Presidente da República deslocou-se à unidade hospitalar para visitar os feridos, desejando-lhes uma rápida recuperação, e associando-se à comunidade de Gondelim naquele momento difícil. Marcelo Rebelo de Sousa também transmitiu as suas condolências à família da vítima mortal através do proprietário da empresa de pirotecnia.

Em Gondelim, para além dos militares da Guarda Nacional Republicana e dos inspectores e peritos da Polícia Judiciária, que têm a tarefa de apurar as causas em que ocorreu aquela dupla #Explosão, estiveram, também, técnicos de psicologia do INEM e do Apoio Social da Segurança Social e do Município de Penacova para prestar acompanhamento à comunidade local. #Bombeiros