Poucos meses antes do regicídio, onde perdeu a vida juntamente com o seu pai, o rei D. Carlos, a 1 de julho de 1907, o jovem D. Luís Filipe (príncipe de Portugal, herdeiro número ao trono), a bordo do navio África, iniciou uma longa viagem ao continente africano.  A saída teve lugar no Cais do Arsenal, no Terreiro do Paço. O povo, elementos da corte e do governo assistiram à partida. Em cerca de 900 anos de monarquia, foi a primeira e única visita oficial de um chefe de estado ou seu familiar a África.

Publicidade
Publicidade

Esta viagem começou a ser idealizada com um mês de antecedência (em junho de 1907) pelo embaixador em Londres, Marquês de Soveral e o ministro da marinha e do ultramar, Aires de Ornelas

De acordo a revista Visão História, num almoço que decorre no Hotel Bragança, aquelas duas personalidades abordaram as "(...) acusações feitas a Portugal pelas sociedades antiesclavagistas britânicas. William Cladbury, proprietário da empresa de chocolates Caldbury, estava no centro da discussão.

Príncipe D. Luis Filipe visitou África
Príncipe D. Luis Filipe visitou África

Afirmava o inglês que a escravatura era ainda praticada no arquipélago de São Tomé, local de onde provinha o cacau que abastecia a indústria britânica de chocolate".

Para ultrapassar estes problemas, Aires de Ornelas desejava fazer uma viagem a São Tomé e Príncipe e a Luanda. O embaixador de Londes propôs que o príncipe D. Luis Filipe também fosse. A ideia acabaria por ser tomada em conta. A comitiva integrou ainda alguns negociantes, oficiais, um inglês e até...

Publicidade

3 republicanos (que partilharam algumas refeições com o príncipe)! 

 A rota acabou por ser mais extensa. Para além dos planos iniciais de Aires de Ornelas, também foram incluídos: Moçambique, Cabo verde, África do Sul e outros locais de Angola. Sabe-se que, para ocupar o tempo no navio, de dia, eram feitos vários jogos e disparava-se contra golfinhos, tubarões ou em garrafas. O bridge e a música eram os grandes entretenimentos para passar a noite. 

São Tomé

A primeira colónia a ser visitada foi São Tomé.

Em quase de 900 anos de monarquia,  esta visita real ao continente africano foi a primeira e única. A 12 de julho, o príncipe real e a restante equipa foram recebidos pela população local e não só com euforia. Na Sé, ouviu-se o hino nacional. E houve ainda tempo para o príncipe ser recebido no Palácio do Governador e na Câmara Municipal. 

Neste arquipélago, o príncipe deslocou-se a algumas roças, como por exemplo Água Izé e Boa Entrada.

Esta visita não era feita por acaso.

Publicidade

Pretendia-se assegurar ao mundo que não existia escravatura nas roças. Os jornalistas, que acompanhavam todos os passos do príncipe, ajudaram a realizar esse desejo. 

D. Luís ficou encantado com a natureza, com os animais e até mesmo com a organização dass roças. O Príncipe voltaria a Cabo Verde já durante a viagem de regresso a Portugal. A 22 de setembro dizia adeus ao continente africano.

 

Angola

Durante 5 dias o Príncipe esteve na atual capital de Angola.

Publicidade

Teve a sua estadia paga por (insistência de) Paiva Couceiro, governador de Angola. D. Luís fez várias inaugurações e visitou a companhia de Açúcar, a Fazenda Tentativa.

Na viagem de regresso a Portugal, o Príncipe ainda voltou a Luanda, mas esteve também noutros locais (Lucala, Benguela, Lobito).

O destino seguinte foi Moçambique, numa viagem que durou 9 dias. 

Moçambique

A 29 de julho, a comitiva é recebida em Lourenço Marques com 3 tiros. Para além dos habitantes, estavam também presentes algumas pessoas que tinham vindo da África do Sul!

O príncipe considerou que a cidade era mais civilizada do que Lisboa. 

 

África do Sul

D. Luís chega de comboio, via Lourenço Marques, a Pretória. A sua presença no território inglês era uma forte tentativa de fazer as pazes com os ingleses, depois do ultimato de 1890. Teve encontro marcado com o alto-comissário da África do Sul, Lorde Selborne. Um homem que não foi dado simpatias e quebrou o protocolo em várias situações.

Apesar desses acidentes, o príncipe conheceu vários sítios na África do Sul. A 31 de agosto, dava por terminada a sua visita.

Leia tudo e assista ao vídeo