Em parceria com Tom Bejgrowicz, que concebeu edesenvolveu este projecto, D. Randall Blythe e Alex Skolnick decidiramcriaruma revista independente intituladaUnbuilt.Trata-se deuma publicação semestral, sem quaisquer anúncios, que tem como conteúdos principais, de uma forma geral, cultura e estilo de vida, e que estará disponívelno próximo dia 26 de Abril. Apesar de ser uma edição à antiga, ou seja, física, poderá ser encomendada via online, cuja metade do seu valor de 1 dólar reverterá para instituições como a Humane Society International e o Comité Internacional da Cruz Vermelha.

Neste primeiro número da Unbuilt, podemos contar comentrevistas feitasàactivista e artista visual Sue Coe, ao autor e veterano Kevin Powers, aos músicos da Broadway Jake Schwartz e Mat Fieldes, ao arquitecto Maddy Samaddar, Reiner Design, aos artistas responsáveispela embalagem dos álbuns"...And Justice For All" e "Metallica" e ao realizador de documentários Tom Berninger.

Além disso, esta publicação dispõe de um ensaio fotográfico exclusivo de Randall Blythesobre a cultura do surf e uma curtahistória escritae fotografada pelo mesmo durante uma viagem àsIlhas Caimão, bem comoum "Espaço de Exposição" quedestacará um artista diferente em cada edição, tendo como inauguradorMike Egan de Pittsburgh.

Quanto à concepção da revista em si, Tom Bejgrowicz afirma que "enquanto nós os três estamos ligados pela Música, isto é apenas a ponta do iceberg em relação aquem somos como pessoas. Assim como o Alex e o Randy têminspirado muitos, eles são igualmente inspirados e motivadospor uma variedade única de pessoas, lugares e coisas. Sãoessas mesmas inspirações que fazem deles o quesão, que fazem a suamúsica soar como soa eas suas palavras serem verdadeiraspara muitos.

A Unbuilt concede aos três uma plataforma para partilharmos essas influências com quem estiver interessado."

Já o líder dosLamb Of God comenta que"como músico profissional, tenho viajado pelo mundo, usando, através dasminhas letras e voz, a plataforma que a minha banda fornece para a expressão artística. Mas, para mim, uma música de heavy metal com quatro minutos e meio não tem o espaço para transmitir alguns dos pontos mais complexos que desejotransmitir, nem permite que me expresse visualmente.

Como escritor e fotógrafo, a Unbuilt fornece uma saída bem concebidapara os outros (e igualmente importantes) aspectos da minha vida criativa."

Por último, Alex Skolnickreflecte que"depois de ter passado horas incontáveis ​​daminha juventude trancado com uma guitarra e alguns discos favoritos, "escritor" não era uma descrição que eu imaginava para mim no início. No entanto, anos mais tarde, encontrei uma voz na escrita, juntamente com adescoberta de que a escrita pode ser tão satisfatoriamente expressiva como a música."

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo