Tony Roche, o tenista ex-número 1 mundial ecampeão do torneio de Roland Garros em 1966, não tem dúvidas: Roger Federer temcondições para continuar a exibir-se ao mais alto nível nos próximos anos. Em declarações ao site ibnlive, oaustraliano de 68 anos, antigo técnico do campeoníssimo suíço entre os anos de 2005 e2007, referiu que: “No aspecto mental, creio que ele [Roger Federer] poderámanter-se na competição enquanto bem entender. Fisicamente, considero que estáapto para competir durante mais quatro ou cinco anos sem qualquer problema”.

Com 33 anos celebrados no passadodia 8 de Agosto, Roger Federer é o tenista com maior número de títulos do GrandSlam conquistados (um total de 17) na história da modalidade.

Ainda assim, Roche éperemptório ao afirmar que o número 1 suíço pode somar mais troféus Major (oúltimo data de Julho de 2012 em Wimbledon) ao seu já glorioso palmarés: “OutroGrand Slam, definitivamente. É óbvio que é em Wimbledon que ele tem maishipóteses de sair vitorioso, mas enquanto tiver o respeito dos colegas de circuitoserá sempre uma ameaça”, sublinhou.

O experiente técnico australiano,que além de Roger Federer já orientou outros importantes tenistas como Ivan Lendl e os australianos Patrick Rafter eLleyton Hewitt (todos eles campeões de torneios Major), considera que ohelvético “é o jogador mais talentoso de sempre” e não deixa de recordar ostempos em que trabalhou com o tenista natural de Basileia: “Trabalhar com o Rogerfoi um pouco diferente.

Apresentei-lhe alguns treinos difíceis, em que nãobastava cingir-se ao seu talento natural, mas sim trabalhar no duro. Insistimosbastante em treinos de segundo serviço e volleys”, relembrou Tony Roche.

A gozar por estes dias um períodode descanso depois de uma época desportiva extremamente desgastante, RogerFederer vai começar o ano de 2015 no torneio de Brisbane, na Austrália.

O suíçofoi vice-campeão da prova em 2013, após ceder na final perante o australianoLleyton Hewitt, por 1-6, 6-4 e 3-6.

Não perca a nossa página no Facebook!