Começam a falar palavras para adjectivar a grande prova queElisabete Jacinto, José Teixeira Marques e Marco Cochinho estão a fazer no rally do continente africano. A protagonizar uma prestação de trás para a frente, o trioluso esteve hoje mais perto do que nunca de vencer uma etapa na sua categoria, mas no final quemsorriu foi o checo Tomas Tomecek. O MAN TGS “fraquejou” na hora da verdade,acabando em segundo a escassos 5m16s do vencedor da tirada.

Numa etapa de 366,77 quilómetros entre Azougui e Akjoujt naMauritânia, Elisabete Jacinto destacou a beleza de uma especial que teve detudo um pouco, desde dunas a muita pedra: “Semprecom algumas zonas rápidas mas exigentes em termos de condução, oueds de areiamuito longos, algumas dunas, muitas pistas de pedra negra onde tivemos de andarmuito devagar. Contudo,este ano há muito menos areia, o que tornou o percurso mais fácil e mais rápido. Viemos sempre a andar muitodepressa e não perdemos tempo em sitio nenhum. 
Os Kamaz estavamparados na areia e o Tomecek passou por mim muito rápido mas teve uma hesitação de percurso e nós passamos paraa frente. Vivi um momento histórico: eu à frente e o Tomecek e osKamaz atrás.. no pó! Então o TGS teve uma indisposição e abrandou. O Kamazacabou por passar para a frente. Foi pena!”,afirmou a piloto portuguesa à sua assessoria de imprensa.

Este segundo lugar na África Eco Race é já um bis para otrio luso, que tem vindo a mostrar que nem os graves problemas que afectaram ocamião MAN TGS deitaram por água abaixo as suas ambições.

Paulatinamente, osbons resultados estão a regressar e depois do terceiro posto de ontem, eis quea vitória numa etapa nos camiões ficou hoje a pouco mais de cinco minutos de distância. Esta nona tirada teve como vencedor Jean Antoine Sabatier, vitória essa que permitiu aopiloto francês saltar para a liderança da geral combinada carros/camiões comuma vantagem de 3m20s para o compatriota Mathieu Serradori, que desceu para osegundo posto.

Já o MAN TGS de Elisabete Jacinto voltou a subir naclassificativa, é agora 13º a menos de duas horas do polaco Pawel Molgo (Toyota)que segue logo à frente.

Quanto às motos, o norueguês Pal Anders Ullevalsetercontinua o seu “passeio” por esta África Eco Race, tendo ganho a sua 6ª (!)etapa em 8 possíveis. O motard da KTM está na liderança da geral com 2h32m devantagem para o austríaco Robert Theuretzbacher.

O pódio é ainda composto pelobelga Gilles Vanderweyen. Já os portugueses Sérgio Castro e Pedro Ribeiro,voltaram a enfrentar algumas dificuldades no dia de hoje, terminando fora 20primeiro da tirada.

Amanhã corre-se a 10ª etapa, a penúltima na Mauritânia, com342 quilómetros cronometrados entre Akloujt e Toueila, na qual as imponentes equase “gigantes” dunas vão voltar a dominar o cenário que se prevê de percursoa convidar à velocidade.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo