Depois de dois dias sem acção, voltaram a ouvir-se os motores na Mauritânia e com mais uma etapa de elevado nível do camião MAN conduzido por Elisabete Jacinto. A correr "atrás do prejuízo", a piloto natural do Montijo manteve a toada alta e foi 8ª na especial combinada carros/camiões, sendo a 4ª na sua categoria. Este bom resultado possibilitou-lhe a subida ao 18º lugar da geral.

Num total de 433 quilómetros que ligaram Chami e Azougui, o deserto foi o cenário predominante mas, tal como referiu Elisabete Jacinto, nem as dunas travaram o MAN TGS da Oleoban: "Pela primeira vez em todos estes anos fizemos esta etapa sem ficar presos na areia e sem cavar. Chegámos ao acampamento e encontrámos apenas meia dúzia de motos, 3 camiões e 3 carros. A primeira parte foi rápida mas o camião nunca chegou aos 150 e raramente aos 140. Acabei por ser bastante ultrapassada, mas nas dunas fomos sempre avançando devagarinho", afirmou a piloto lusa.

Depois do segundo lugar nos camiões na última etapa realizada, estes resultados acabam por deixar uma certa "mágoa" pelos graves problemas no apoio dos amortecedores que foram a "sentença" do trio composto por Elisabete Jacinto, José Marques Teixeira e Marco Cochinho. Apesar da queda na geral combinada, o camião luso tem vindo a trepar posições e tal como prometera a piloto, o objectivo até ao final desta África Eco Race passa por desafiar os limites.

Nas motos o dia não foi de feição para os portugueses Pedro Ribeiro e Sérgio Castro. que estiveram perdidos no deserto da Mauritânia, o que lhes "valeu" um tempo superior a 11 horas até à meta. No entanto confiança não falta aos motards: "A nossa primeira vez nas dunas da Mauritânia correu muito bem mesmo. Foram 11 horas de condução na areia e dunas, estamos de rastos. A mais de meio da especial saímos do percurso para vir mais directo mas acabámos por nos perder e fazer mais 200 quilómetros em areia e à noite. Estamos a ganhar confiança e agora ninguém nos pára até Dakar", revelou a dupla nas redes sociais.

Os melhores vídeos do dia

O dia de amanhã vai ser de dunas e mais….dunas num total de 358 quilómetros numa etapa que não vai sair de Azougui. As dificuldades estão à porta mas o objectivo é o de sempre, enfrentá-las.