Foi com um empate a uma bola que Cabo Verde se estreou este domingo naTaça das Nações Africanas. Frente à sempre complicada e matreira selecção da Tunísia,os “Tubarões Azuis” somaram um grande número de oportunidades, principalmentena primeira parte, mas pecaram no momento da finalização. Na segunda metade, ostunisinos adiantaram-se no marcador, mas o seleccionador Rui Águas acabou porrespirar de alívio quando Heldon fez de grande penalidade o empate a uma bola. No outro jogo do grupo, Zâmbia e RD Congo também empataram, pelo que continua tudo em aberto.

Numa partida em que Vozinha se tornou no guarda-redes commais internacionalizações do Futebol cabo-verdiano, foram muitas a chances degolo para os “Tubarões Azuis”, com destaque para o cabeceamento de Fernando Varelaao poste logo no primeiro minuto, do remate de Kuca aos 19 minutos que obrigouo guardião tunisino a uma defesa apertada aos 19 minutos e ainda para o desperdíciode Djaniny, quando à passagem da meia hora, e assistido por Heldon, fez umautêntico passe para as mãos de Mathlouthi.

Com 0-0 ao intervalo, Cabo Verde voltou aentrar na melhor na segunda parte, novamente com uma grande oportunidade, destafeita com Kuca a ver um defesa das “Águias de Cartago” a tirar a bola em cimada linha de golo.

No entanto, a Tunísia começou a aparecer com mais frequêncianas imediações da baliza de Vozinha, até que aos 70 minutos, e depois dealgumas desatenções na defensiva cabo-verdiana, Dali Moncer inaugurou omarcador para os tunisinos. Vinha à tona a velha máxima do futebol de que “quemnão marca, sofre”, e Cabo Verde estava a sentir isso mesmo na pele. Apesar dobalde de água fria, Rui Águas, que já tinha mudado Djaniny por Júlio Tavares,mexeu logo a seguir ao golo sofrido, fazendo entrar Ryan Mendes, que surpreendentementeficou no banco, e aos 78 minutos, Heldon “Nhuck” Ramos, jogador do Sporting,cavou de forma inteligente uma grande penalidade, que o próprio aproveitou pararestabelecer o empate, que se iria manter até ao fim do jogo.

No final da partida, o treinador português dos “TubarõesAzuis” era o espelho de uma equipa que terminou o jogo com o sentimento que avitória fugiu por culpa própria: “Nós queríamos ganhar e eu acredito quefizemos tudo para entrar com uma vitória nesta CAN. Estivemos melhor naprimeira parte, tivemos quase sempre a posse da bola mas falhámos nafinalização.

Depois, na segunda parte começámos a perder a concentração e aTunísia aproveitou e fez um golo. Felizmente reagimos a tempo e conseguimosempatar o jogo. Acaba por ser um bom resultado”, afirmou Rui Águas emconferência de imprensa.

Com este empate, Cabo Verde deixou escapar uma grandeoportunidade para se isolar na liderança do Grupo B, que tem no final daprimeira jornada quatro equipas com um ponto, visto que no outro jogo destegrupo, Zâmbia e RD Congo também empataram 1-1.

Na próxima ronda, Cabo Verdedefronta os congoleses, numa partida marcada para quinta-feira.

Não perca a nossa página no Facebook!