Aos 33 anos, David Villa está prestes a abraçar aquela quepode ser a última experiência fora do seu país. Depois de ter assinado por 3anos pelos New York City FC, o avançado esteve emprestado aos australianos doMelbourne, onde marcou 3 golos. Agora o “sonho americano” está quase a começar.Nos Estados Unidos, Villa “Maravilla” quer encantar os fãs do soccer.  

Com 14 títulos oficiais, entre Liga dos Campeões, LigaEspanhola, Campeonato do Mundo e da Europa, David Villa negou esta semana que asua ida para a Major League Soccer (MLS) seja o inicio do fim da sua carreira.Depois de ter defendido as cores do Atlético Madrid na temporada passada, tendoajudado os Colchoneros a vencer o título espanhol que já fugia desde 1996, omáximo goleador da selecção espanhola, com 61 golos em 97 internacionalizações, comprometeu-sepelo novo clube da cidade que nunca dorme.

O New York City FC, emblema criado pelos carismáticos NY Yankees,é uma das novas apostas do multi-milionário Ferran Soriano que viu no ponta delança espanhol, juntamente com Frank Lampard, as “bandeiras” perfeitas paralançar o clube na primeira época na MLS. No entanto, o passo atrás do inglês emviajar para terras do Tio Sam e permanecer no Manchester City, elevaram aresponsabilidade de Villa que já está em Nova Iorque a trabalhar, nãoescondendo o entusiasmo pelo novo projecto: “Este é um desafio muito importantepara mim. Depois de construir uma carreira de sucesso na Europa, quero continuara fazê-lo aqui nos Estados Unidos”.

Em entrevista ao WallStreet Journal, o avançado espanhol negou por completo que este seja umpasso atrás no que à sua carreira diz respeito: “Os jogadores de Futebol nuncafalam em passos atrás.

Isso é algo que não faz sentido em atletas de altacompetição. Para mim a MLS não está actualmente ao nível das melhores ligas daEuropa, mas poderá estar num futuro próximo. Por isso mesmo, este não é um passoatrás, mas sim um avanço na minha carreira”.

Já no que toca aos objectivos, David Villa não arriscacolocar a fasquia num apuramento para a fase a eliminar (play-offs), preferindodizer que só depois de avaliar a qualidade da sua equipa e dos adversários,pode avançar com metas reais a atingir.

A cerca de mês e meio de começar a faseregular da competição, o avançado espanhol nem quer ouvir falar num regresso aEspanha, prometendo para mais tarde divulgar qual o clube onde quer terminar acarreira.

Não perca a nossa página no Facebook!