Advertisement
Advertisement

O combate entre Floyd Mayweather, Jr. e Manny Pacquiao é um dos mais aguardados nos últimos anos pelos amantes do boxe, mas, até ao momento, não passa disso mesmo: um desejo. Notícias contraditórias sobre uma possível concretização da luta na próxima Primavera, em Las Vegas, têm proliferado. Um promotor do pugilista filipino disse recentemente que o acordo estava firmado, mas o porta-voz oficial do atleta insistiu que “ainda falta um longo caminho” até que isso aconteça.

Por outro lado, fonte próxima de Mayweather diz que o combate “está a ser preparado”, não havendo, contudo, qualquer confirmação por parte do Money Man.

Pacquiao é claramente o mais interessado neste combate, uma vez que está a braços com um sério problema fiscal nos Estados Unidos e precisa do dinheiro.

Advertisement

Por isso tenta pressionar o seu adversário para que este aceite nova subida ao ringue, para discutir o cinturão de campeão do mundo de pesos médios. Mayweather “precisa de ganhar ‘cojones’”, terá dito Bob Arum, responsável pela Top Rank, que gera a carreira do filipino. “O Manny tem sido muito razoável. Agora, estamos à espera do Floyd, apesar de eu não ter a certeza de [o combate] irá acontecer”, acrescentou. Alguns analistas garantem que é precisamente este tipo de atitudes e afirmações públicas de Arum que irritam o detentor do título e que impedem o combate de se realizar.

Apesar de este ser um confronto que deveria ter ocorrido há alguns anos, continua a ser o maior combate que se pode realizar actualmente. Mas, ao contrário de outros desportos, no boxe, nem sempre os grandes enfrentamentos acontecem.

Advertisement
Os melhores vídeos do dia

Mesmo tendo em conta a idade dos dois lutadores (Mayweather tem 38 anos e Pacquiao 36), não haver um combate entre os dois é o mesmo que o Real Madrid nunca jogar contra o Barcelona na Liga espanhola de futebol.

Um combate entre os dois poderá render centenas de milhões de dólares. Segundo a Yahoo Sports, há um acordo para que a contenda tenha lugar no MGM Grand Garden de Las Vegas, a 2 de Maio. Os bilhetes seriam vendidos a preços entre os mil e os cinco mil dólares, gerando uma receita de bilheteira de 40 milhões de dólares.

Manny Pacquiao abordou o assunto numa entrevista recente: “Se o combate nunca acontecer, isso não vai ter impacto na minha carreira, porque já estou satisfeito com o que fiz no boxe. A minha preocupação é fazê-lo acontecer pelos fãs. Onde quer que vá, mesmo na Tailândia, toda a gente me pergunta: ‘quando é que este combate vai acontecer? Quando é que este combate vai acontecer?’ Essa pergunta não é para mim, é para o Mayweather. Milhões de pessoas fazem-me esta questão.

É um bocado aborrecido para mim. É altura de fazermos o combate acontecer. Os fãs merecem”.

Mesmo que os dois pugilistas cheguem a acordo para um combate, isso não é garantia que ele se realize, uma vez que há outras pedras no caminho. A maior tem a ver com direitos televisivos. Mayweather tem um contrato de exclusividade com a Showtime e Pacquiao com a HBO. O presidente da CBS, Leslie Mooves, tem-se desdobrado em conversas com as duas estações para tentar contornar o problema.