Um golo de grande penalidade chegou para, 12 jogos depois, oTondela conhecer novamente o amargo sabor da derrota. A proeza pertenceu aorival do Distrito, o Académico de Viseu. Num jogo de Futebol característico de um derby,sorriu a equipa da casa que foi melhor em praticamente toda a partida. Do ladoacademista, Luisinho voltou a destacar-se, tendo sido dele o golo que deixa aliderança da Segunda Liga em aberto.

Com a melhor assistência da época no Estádio do Fontelo, odia de Carnaval em Viseu foi pintado a negro e amarelo, cores dos rivais doDistrito, que proporcionaram esta terça-feira um duelo com todos os condimentosdignos de um derby. Apesar de separados por 14 pontos, essa diferença nunca saltoupara dentro do campo. Foi sempre melhor a turma orientada por Ricardo Chéu quemostrou o porquê de ainda não ter perdido no seu reduto, desde que reassumiu oscomandos do Académico, tendo Fábio Martins, logo aos 3 minutos,  desperdiçado umbom cruzamento da esquerda de Dalbert.

Com superioridade no meio campo, os academistas estiverammuito perto do golo quando, aos 19 minutos, João Ricardo acertou com estrondona barra da baliza do Tondela. Com muitas dificuldades em conseguir ligar o seujogo, o líder do campeonato chegou com perigo à baliza de Ivo Gonçalves apenasaos 35 minutos, depois de Edu Machado aproveitar uma desatenção de Dalbert. Noentanto, e ainda antes do intervalo, Piojo fez o guarda-redes do Académicobrilhar, obrigando-o a desviar para o poste um remate que levava o selo degolo.

Com 0-0 ao intervalo, que penalizava a equipa da casa mas quese aceitava, tudo mudou logo aos 3 minutos da segunda parte, quando VascoSantos considerou que houve mão na bola de Vítor Alves, a remate de Luisinho.Da marca dos 11 metros, o “mágico” do Académico não vacilou e inaugurou omarcador, para alegria dos adeptos da casa.

Em desvantagem, Quim Machado teve de mandar subir os seushomens no terreno, de forma a evitar a derrota, o que deixou mais espaço na suadefesa para os atacantes adversários aproveitarem.

E foi o que esteve quase paraacontecer, quando aos 23 minutos, Sandro Lima, que havia entrado para o lugarde Fábio Martins, descobriu Luisinho na direita, que só não fez o 2-0, porqueDeyvison fez um corte do outro Mundo e mandou a bola para canto. Do lado doTondela, e já com Joel e Rúben Saldanha em campo, jogava-se quase sempre com ocoração e sem qualquer discernimento, limitando-se o líder do campeonato abombear bolas para a área academista, mas sem causar perigo para a baliza deIvo Gonçalves.

Dos últimos minutos, que poderiam ser de “assalto” finaltondelense, há apenas a destacar a lesão de Pedro Araújo que deixou a suaequipa com 10 unidades nos últimos minutos e a expulsão de André Sousa do ladodo Académico. Pouco depois, Vasco Santos apitava para o final do encontro com avitória a sorrir para a equipa da casa, que após perder com o último, conseguiu infligira primeira derrota dos últimos 12 jogos ao líder do campeonato.

Com este resultado o Académico segue em 13º lugar, agora com39 pontos; já o Tondela continua sem vencer no Estádio do Fontelo, onde não festeja há mais de 70 anos e mantém os mesmos 50 pontos, ficando à espera que o Chavesnão vença amanhã no reduto do Leixões.

Caso contrário, será apanhado noprimeiro lugar desta Segunda Liga.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo