Advertisement
Advertisement

O Benfica sofreu apenas dois golos em casa, nos jogos a contar para a I Liga portuguesa, registo que ninguém supera, não só em Portugal, como na comparação com os cinco campeonatos mais importantes da Europa: Espanha, Itália, Inglaterra, Alemanha e França. Júlio César e Artur são responsáveis pelo recorde dos encarnados. Artur encaixou o primeiro golo no campeonato, a 31 de Agosto de 2014, na sequência da finalização de Slimani, internacional argelino, numa partida em que o Benfica empatou a um com o Sporting.

Menos de um mês mais tarde, João Pedro marcou o golo do Moreirense no Estádio da Luz, com Júlio César na baliza, mas os encarnados foram mais felizes, uma vez que venceram por 3-1.

Advertisement

Ou seja, o Benfica ainda não foi buscar qualquer bola ao fundo da sua baliza nos jogos disputados no campeonato português em 2015. Na I Liga, FC Porto e Sp. Braga são os principais rivais do Benfica, neste âmbito, com três e cinco golos sofridos, respectivamente.

Chelsea em igualdade com dois rivais

A melhor marca fora de Portugal pertence ao Chelsea, líder da Premier League, com seis golos sofridos, em igualdade com Lille, oitavo classificado em França, e Bayern Munique, primeiro classificado na Bundesliga. Com sete golos sofridos, surge a Juventus, líder destacada da Série A, em igualdade com o Sevilha, que ocupa o quinto posto do campeonato espanhol. Júlio César e Artur superam, portanto, os guarda-redes do futebol mundial, como Thibaut Courtois (Chelsea), Vincent Eneyama (Lille) ou Gianluigi Buffon (Juventus).

Advertisement
Os melhores vídeos do dia

Apesar de, neste ranking, haver duas equipas do futebol português, é na equipa andaluza que surge o único guarda-redes nacional: Beto, que defende a baliza do Sevilha há praticamente três épocas consecutivas.

O sonho de Júlio César

Com o rendimento de luxo, Júlio César continua a sonhar com a selecção brasileira: "Acho que meu tempo na seleção não acabou. Estou no Benfica, uma equipa que luta por títulos e é respeitada no mundo inteiro, por isso dá-me condições de sonhar com isso. Em Portugal reencontrei minha auto-estima. Em Inglaterra [pelo Queens Park Rangers] passei por momentos complicados, mas agora reencontrei a alegria em jogar futebol e acho que posso continuar a pensar na seleção brasileira", referiu, em entrevista à Veja.