Lewis Hamilton entrou de pé direito na nova época, onde irá tentar revalidar o título conquistado em 2014. O piloto britânico da Mercedes venceu de forma inequívoca o Grande Prémio da Austrália em Melbourne. Hamilton partiu para a prova na pole position e manteve-se na liderança até ao final, batendo o colega de equipa Nico Rosberg. O alemão Sebastian Vettel começou a sua carreira ao serviço da Ferrari com um terceiro lugar, em Albert Park.

Comparativamente à temporada passada pouco parece ter mudado, já que a Mercedes continua a dominar as hostes e conquistou em Albert Park a primeira dobradinha da temporada com uma vantagem de 33 segundos sobre os restantes adversários.

Nico Rosberg terminou a 1,3 segundos do seu companheiro de equipa. Com este resultado a Mercedes conquistou desde já 43 pontos no campeonato de construtores, mais 28 do que a Ferrari que apenas conseguiu pontuar com Sebastian Vettel.

A primeira prova da temporada começou apenas com 15 carros em pista, já que Kevin Magnussen, da McLaren, e Daniil Kvyat da Red Bull, não chegaram à pré-formação antes da partida devido a problemas mecânicos. Também a nova equipa Manor esteve ausente da ronda inicial do campeonato do mundo de 2015 na Austrália. No final apenas 11 pilotos cruzaram a linha da meta.

Apesar de ter estado envolvido no acidente, Felipe Nasr fez uma grande estreia na Fórmula 1 ao terminar a prova no quinto lugar, atrás do seu compatriota Felipe Massa e 12 segundos à frente de Daniel Ricciardo da Red Bull que ficou no sexto lugar.

Vídeos destacados del día

Na sétima posição ficou Nico Hulkenberg da Force India, equipa que apenas conseguiu dois dias e meio de testes com o seu carro durante a pré-temporada.

O oitavo lugar coube ao companheiro de Nasr, Marcus Ericsson que fez uma corrida de trás para a frente, depois de começar a prova no 16º lugar. Carlos Sainz Jr. e Sergio Perez completaram os lugares pontuáveis na Austrália.

A superioridade da Mercedes indicia que a luta pelo título será novamente uma discussão a dois, entre Rosberg e Hamilton, tal como em 2014. Depois de ser amplamente batido pelo britânico na parte final da temporada passada, o piloto alemão precisa de recuperar rapidamente sob pena de se afundar psicologicamente e abrir caminho ao tricampeonato do britânico.