Responsável pelas águias Vitória e Gloriosa, as famosas aves de rapina que se lançam do topo da Estádio da Luz rumo ao emblema do Benfica antes do apito inicial dos jogos de futebol, é agora piloto de ralis. André Rodrigues é o famoso falcoeiro benfiquista que "vai voar" ao volante de um Citroen DS3 R1 e pelas cores do Sport Lisboa e Benfica. Habituado a treinar e ver as águias a "toda velocidade" no estádio, o jovem falcoeiro de 25 anos decidiu experimentar, em Barcelos, a sensação de conduzir um Mitsubishi Lancer Evo VI em competição. Sem asas, mas com cavalos e pneus, o "bichinho" do rali acentuou-se, pois o jovem desde há uns anos que olha para a modalidade automobilística com paixão.

Com o surgimento da competição nacional monomarca, a "Challenge DS3 R1", André Rodrigues vestiu as cores do Sport Lisboa e Benfica e lançou-se na competição.

Logo na primeira prova, disputada na cidade berço, o Rally de Guimarães, o falcoeiro ficou no pódio, conquistando o terceiro lugar.

"Foi um sonho tornado realidade. Já tinha tido alguma experiência de competição ao nível dos karts, mas isto é diferente", diz André Rodrigues. O agora atleta do Benfica para ralis vê no Challenge um oportunidade para a estreia no mundo dos ralis e, como a águias Vitória e Gloriosa, conseguir outros voos.

"Não vou pensar neste primeiro ano em resultados. Quero absorver bem esta experiência, aprender tudo sobre esta modalidade e depois, aí sim, noutros desafios, conseguir o maior número de vitórias ao volante de um carro de ralis", frisa o agora também piloto benfiquista, que tem como navegador o experiente Hugo Magalhães.

A próxima prova do piloto de ralis do Sport Lisboa e Benfica é em Castelo Branco, terra, curiosamente, do Benfica de Castelo Branco.

Os melhores vídeos do dia

"Espero que corra bem. Em Guimarães tive alguns problemas, mas foi uma prova positiva. Vamos ver agora", refere André Rodrigues. A prova, a segunda de um campeonato que tem seis etapas, está marcada para os dias 24 e 25 de abril.

Depois de Paulo Gonçalves nas motos, é a vez de André Rodrigues mostrar o que vale "sem asas".