Publicidade
Publicidade

Morreu o piloto de Fórmula 1 Jules Bianchi. O piloto francês tinha sofrido um acidente no Grande Prémio do Japão a 5 de Outubro de 2014. O seu monolugar despistou-se e embateu violentamente numa grua que se encontrava a retirar o carro de Adrian Sutil, que tinha desistido da corrida. Jules Bianchi foi internado inicialmente no Japão mas acabou por ser transferido para uma unidade hospitalar em Nice onde esteve durante 9 meses em coma.

O piloto francês acabou por não resistir aos ferimentos e a família emitiu um comunicado nas redes sociais a confirmar o seu falecimento.

Publicidade

No comunicado pode-se ler que Jules Bianchi lutou até ao limite das suas forças como sempre o fez mas "hoje a sua luta chegou ao fim". A família agradece a todos os que apoiaram e estiveram ao lado do piloto durante este tempo difícil. No início da semana anterior o pai do piloto francês estava pouco otimista quanto à recuperação total do filho, cenário que se confirmou na noite de sexta-feira passada.

Jules Bianchi corria pela equipa Marussia, à qual se havia juntado na temporada de 2013. Participou em 36 grandes prémios conquistando dois pontos graças a um 9º lugar do Grande Prémio do Mónaco de 2014.

A organização do Grande Prémio do Japão foi na altura severamente criticada pelos pilotos e outras pessoas envolvidas na modalidade por não ter colocado o "safety car" em pista aquando da retirada do carro de Sutil, visto que as condições atmosféricas não eram as melhores na altura.

A morte regressa assim mais de 20 anos depois à Fórmula 1. Em 1994, no Grande Prémio de San Marino, o piloto austríaco Roland Ratzenberger acabou por falecer após um acidente no qual o seu Simtek-Ford bateu a mais de 300 km/hora num dos muros de proteção do circuito.

Publicidade
Os melhores vídeos do dia

No dia da corrida falecia também, na sequência de um acidente, Ayrton Senna. Considerado por muitos como o melhor piloto de todos os tempos, o piloto brasileiro viria a falecer após um choque violento do seu Williams-Renault no muro da curva Tamburello.

É sem dúvida um dia triste para o desporto em geral.