N'Golo Kanté é, há três temporadas, um dos melhores da Premier League, mas parece que este foi o Mundial da consagração para o médio de 27 anos. O francês foi campeão pelo Leicester e pelo Chelsea, em anos consecutivos. Agora, é campeão do mundo pela França e terá vários clubes interessados em tirá-lo do Chelsea, de acordo com a imprensa desportiva. No entanto, o público reconhece agora um talento humilde, que tem uma história de vida comovente. A trajetória de Kanté nasceu nas dificuldades de uma família pobre que emigrou do Mali para a França, mas ele chegou ao topo do mundo com uma humildade que faz com que todos os colegas e adversários o respeitem.

A emocionante história de vida de Kanté

No futebol, existem várias histórias de crianças que vieram do nada para se tornarem estrelas mundiais. Kanté poderia ser só mais um, mas o sorriso do francês e a humildade, que obrigou os colegas a forçá-lo a tirar uma foto com a taça de campeão do mundo, porque "ele tinha vergonha de pedir", fazem dele um dos heróis do momento. Há muita história por detrás desse sorriso de Kanté.

O francês nasceu em Paris mas é filho de imigrandes do Mali, na África. O início de vida daquele que é hoje um dos melhores do mundo foi difícil. Há 20 anos, quando a França foi campeã do mundo, Kanté andou a apanhar o lixo das ruas, para ajudar a família com as contas. Tinha sete anos e era o mais velho de quatro irmãos. Por essa altura, ele só poderia sonhar com que estava para vir, mas 20 anos depois, é ele quem faz a festa e foi fundamental neste segundo título mundial da França.

Os melhores vídeos do dia

Orgulhoso e agradecido ao país que os recebeu

"Orgulhoso de ser francês", escreveu Kanté no Instagram, depois de ser campeão do mundo. A França acolheu os seus pais, e deu-lhes uma vida melhor a todos, apesar das dificuldades. Kanté é o exemplo de um jovem reconhecido, como muitos dos seus colegas, também eles filhos de imigrantes neste país europeu. Perdeu o pai aos 11 anos e começou no futebol, em clubes menores, onde foi sempre olhado com desconfiança. Aos 18 anos, formou-se em Contabilidade e ainda prosseguiu os estudos, por mais dois anos, até que o futebol o chamou definitivamente.

Em 2010, o Bolonha acreditou nele e depois, o crescimento não mais parou. Três anos depois, chegou ao Caen, onde despertou as atenções do Leicester. A Premier League ganhou um dos melhores do mundo, e Kanté foi decisivo nos títulos de Leicester, primeiro, e Chelsea, depois.

O trabalhador tímido e incansável

Fora de campo, Kanté tenta ser ainda mais discreto do que o é sobre o relvado. Seja pela França ou pelo Chelsea, o médio corre quilómetros, raramente erra e parece intransponível e inesgotável, tendo-se tornado num dos melhores '6' da atualidade.

O fôlego interminável é uma das principais características do pequeno jogador que, como disse Eden Hazard, "parece que está em todo o lado." Terminado o jogo, é tímido e envergonhado. Teve que ser N'Zonzi a dizer para ele tirar uma foto com a taça de campeão do mundo. É que Kanté tinha sido um dos mais importantes na conquista, mas tinha vergonha de pedir a foto. Também por isso, ele é tão querido por todos os colegas.

Kanté não gosta de joias nem de roupas caras, e é a imagem de uma seleção que tem a marca da imigração. Um país que sempre soube receber os estrangeiros, e que agora vê os seus filhos dar-lhes a glória mundial. Kanté superou todas as dificuldades e é um dos favoritos do mundo, neste momento. Clubes como Barcelona e PSG tentam desviá-lo do Chelsea, e o futuro de Kanté parece tão risonho quanto o seu sorriso.