Pela primeira vez em mais de uma década, a gala The Best da FIFA não contou com a presença das duas maiores estrelas do futebol desta geração: Lionel Messi e Cristiano Ronaldo. O argentino não foi finalista do prémio de melhor do mundo, também uma novidade para ele em mais de dez anos, e alegou um problema pessoal para não estar presente na gala, que se realizou em Londres. Já o internacional português era finalista, mas também não foi e soube, desde casa, que ficou na segunda posição atrás de Luka Modric. A FIFA já reagiu às ausências e disse que os dois craques "desprestigiaram o futebol" com a sua ausência.

O problema pessoal de Messi

O caso de Messi até seria o menos flagrante.

O internacional argentino teve uma excelente época no Barcelona. Ganhou novamente a Bota de Ouro de melhor marcador da Europa e ganhou o campeonato espanhol por larga margem, bem como a Taça da Espanha. Apesar disso, os seus feitos não foram suficientes para ser sequer finalista ao prémio de melhor jogador do mundo.

Apesar disso, Messi estava nomeado para o melhor golo do ano, o prémio Puskas, que Salah acabou por vencer, e também para o melhor onze do ano. O argentino disse que ia à gala, de acordo com o jornal Marca, mas no dia, acabou por alegar um problema pessoal e não esteve presente, desconhecendo-se o que realmente aconteceu e se Messi descartou propositadamente ou não a sua presença na gala.

A agenda preenchida de Cristiano Ronaldo

Diferente é o caso de Cristiano Ronaldo. O jogador estava nomeado ao prémio, que venceu nas duas edições anteriores, momentos em que esteve presente.

Os melhores vídeos do dia

No entanto, desta vez, o jogador não foi e também não justificou a ausência. Muitas pessoas garantem que Ronaldo já sabia que não ia vencer e, por esse motivo, não teve o 'fair-play' de comparecer, até porque ele já tinha perdido para Modric o prémio da UEFA de melhor da Europa, entrega em que também não esteve presente.

Muitos acreditam que ele ficou a saber de antemão que não ia vencer e recusou-se a assistir ao reconhecimento do ex-companheiro de equipa, Luka Modric. Entretanto, Massimiliano Allegri revelou que nem ele nem Cristiano foram à Gala porque tinham jogo na quarta-feira seguinte e não dava jeito. Na verdade, muitos dos presentes na gala também tinham jogo logo na terça ou quarta-feira, mas ficou a justificação do treinador da Juventus.

Cristiano ganhou os mesmos títulos que Modric na temporada, uma vez que atuaram juntos no Real Madrid. No entanto, o campeonato do mundo terá feito a diferença a favor do croata, que foi à final. Apesar disso, muitos defendem que Cristiano foi muito mais influente do que Modric ao serviço do Real.

Nota da FIFA critica Messi e Cristiano

"Desprestigiaram o futebol. Eles não percebem. A parte lesada é o desporto e com isso, eles também o são", escreveu a FIFA, em comunicado, a lamentar a ausência de Cristiano e Messi na Gala The Best.

Também Fabio Capello falou em "falta de respeito" dos dois jogadores que dominaram as entregas de prémios, na última década. "É desrespeitoso", disse o treinador italiano, lembrando que os dois jogadores deveriam manter a postura, quando ganham ou quando perdem.