A transferência de Cristiano Ronaldo para a Juventus foi a grande novidade deste último mercado do futebol. O astro português, de 33 anos, deixou o Real Madrid depois de nove temporadas no colosso espanhol e assinou pelo campeão italiano. Poucos esperavam esta mudança, numa transferência que está a revelar muito sobre o Real Madrid, com Cristiano e agora sem ele. De acordo com o mediático site Goal, Cristiano nunca foi um favorito no Real e o clube pode ter grande sucesso no futuro, mesmo sem o seu melhor marcador de sempre. Para o Goal, o Real até poderá ser melhor sem o astro português.

Real ainda não sente falta de Ronaldo

Muitos se perguntam o que será do Real Madrid sem Cristiano Ronaldo e alguns já vão respondendo.

A verdade é que o Real Madrid sempre foi um colosso do futebol mundial, mesmo antes do jogador português chegar ao clube e será natural que Florentino Pérez continue a manter o clube no topo. Resta saber se as vitórias vão continuar com a mesma regularidade.

De acordo com Isco, em entrevista recente, o Real não está a sentir a falta de Cristiano, porque estão a ganhar. No entanto, a equipa acabará por sentir a falta dos muitos golos do craque, na opinião de Isco, uma situação que se poderá manifestar se a equipa deixar de somar resultados tão positivos como até agora.

Os protagonistas Bale e Benzema

O Real não começou bem a temporada e, na estreia oficial de Lopetegui, a equipa perdeu a Supertaça Europeia frente ao Atlético de Madrid. Imediatamente se falou da falta de Cristiano e Zidane nesta equipa, mas assim que o campeonato começou parece que tudo ficou para trás.

Os melhores vídeos do dia

O Real vence e convence nestas primeiras jornadas, estando a fazer um arranque bem melhor do que na temporada passada.

No momento, a equipa lidera juntamente com o Barcelona, só com vitórias e muitos golos. A chave do sucesso passa por uma equipa com mais posse de bola, com o brilho de jogadores outrora mais marginalizados, como Bale e Benzema, que não param de marcar golos. E é aqui que o Goal reclama o egoísmo de Ronaldo.

A equipa jogava mais para o português e, com a sua ausência, fica evidente o maior envolvimento de todos no jogo da equipa. Existe mais pressão e união entre os jogadores, nas ligações defesa-ataque. E é também por isso que jogadores como Benzema e Bale estão a fazer mais golos, numa equipa sem nenhuma super-estrela.

Real Madrid não contratou nenhum galático

Desde 2014 que o Real Madrid não consegue apresentar nenhum super jogador. O último foi James Rodríguez, que custou mais de 80 milhões de euros e foi entretanto cedido ao Bayern de Munique, mas desde esse ano que os espanhóis têm apostado por outro tipo de contratações: jogadores mais jovens e mais baratos, numa aposta para o futuro.

No entanto, com a saída de Cristiano Ronaldo, o Real Madrid teria tentado atrair Kylian Mbappe para o Santiago Bernabeu, e até Neymar. Porém, o PSG fechou a porta às duas estrelas. Segundo o Goal, Florentino Pérez também teria feito um esforço por Robert Lewandowski, do Bayern de Munique, mas igualmente sem sucesso.

No final, o Real decidiu que nenhum jogador do mercado poderia acrescentar algo ao plantel de Lopetegui, e a equipa continuou praticamente com os mesmos jogadores no ataque, mas aparentemente com mais liberdade para Asensio, Bale e Benzema.

Colegas não gostavam de Cristiano

A chegada de Ronaldo a Itália foi difícil para muitos, especialmente depois de umas declarações do capitão da seleção portuguesa que não teriam caído nada bem aos fãs do Real Madrid e aos ex-colegas. "É o maior clube da Itália, um dos melhores do mundo, então foi uma decisão fácil. Até agora, sinto que as pessoas no clube são diferentes, são como uma família", disse Cristiano, em declarações à Juventus TV.

O capitão Sergio Ramos reagiu rapidamente, dizendo que no Real são uma família, e que não entendia as palavras do ex-campanheiro de equipa. Segundo o Goal, a atitude de 'diva' de Ronaldo não entusiasmava os colegas. Eles aceitavam os seus caprichos por ser a grande estrela, mas supostamente não gostavam de muita coisa nas atitudes do astro português, que estava longe de ser o favorito do balneário. Marcelo seria o único amigo que Cristiano deixou para trás, depois de nove temporadas no Real.