Leo Messi ficou fora dos finalistas para melhor jogador do mundo e sobre isso já se fizeram muitas considerações. Para muitos, é injusto que a temporada do argentino tenha passado em claro aos olhos da FIFA, até porque Messi foi o melhor marcador da Europa, num ano em que desceu alguns metros em campo e jogou mais na posição de médio. Apesar disso, ele foi o melhor marcador dos campeonatos europeus, mas as suas exibições individuais não tiveram, agora, o reconhecimento da FIFA, que o excluiu da luta pelo prémio The Best de melhor jogador do mundo.

Não perca as atualizações mais recentes Siga o Canal news

No jornal Mundo Deportivo, discute-se agora sobre a exclusão do jogador argentino, argumentando que se pede sempre mais a ele do que aos outros.

Messi 'contra' os finalistas deste ano

Como exemplo, no jornal catalão, falam logo do caso de 2014.

Nesse ano, Messi foi o melhor jogador do Mundial do Brasil, mas como perdeu a final frente à Alemanha, o jogador argentino não foi considerado o melhor do mundo. No entanto, quatro anos depois, ser vice-campeão do mundo torna Modric no maior favorito ao prémio.

Mas não é só Modric que tem essa curiosidade a seu favor. Mohamed Salah também está nomeado, porque esteve na luta para ser o melhor marcador da Europa, na temporada passada, prémio que perdeu para Messi. O egípcio não venceu qualquer título com o Liverpool, apesar de ter feito uma excelente época.

No entanto, quando comparado com Messi, os números de Salah perdem alguma eficácia. Afinal, o jogador ficou aquém do argentino do Barcelona, que ganhou campeonato e Taça da Espanha, e ainda mais uma Bota de Ouro. Porém, o argentino Messi foi, este ano, penalizado por não ter vencido a Champions ou o campeonato do mundo, enquanto que Salah, que não venceu nada, está na corrida, uma desvalorização difícil de entender pelo jornal Mundo Deportivo.

Rivalidade com Cristiano Ronaldo

Finalmente, o jornal catalão expõe o caso do grande rival de Messi, Cristiano Ronaldo.

Os melhores vídeos do dia

Em causa não está o mérito de Cristiano nesta lista, uma vez que o português ganhou a Liga dos Campeões, prova em que foi o melhor marcador, mas sim a comparação com o ano de 2013, em que o português foi eleito o melhor do mundo sem ter ganho nada. Nesse ano, Messi foi campeão espanhol e ganhou a Bota de Ouro, enquanto que Ribery foi campeão alemão e da Liga dos Campeões.

Porém, Ronaldo destacou-se num play-off com a seleção de Portugal, no apuramento para o Mundial de 2014. Cristiano marcou quatro golos na eliminatória contra a Suécia e as votações para melhor do mundo, que já estavam encerradas, foram reabertas. Ou seja, Cristiano venceu a Bola de Ouro por ter apurado Portugal entre as 32 seleções para o Mundial, e no ano seguinte, Messi perdeu a Bola de Ouro porque ficou no segundo lugar desse Mundial.

Com tudo isto, o jornal Mundo Deportivo dizx que "há sempre uma desculpa para tirar Leo Messi dos prémios individuais", garantindo que a FIFA tem descartado o jogador argentino destes prémios.

Como curiosidade, ficam ainda algumas declarações como "Messi é o melhor do mundo, mas este ano Modric merece o prémio". Vários o disseram, como Jorge Valdano ou Rakitic, destacando uma necessidade das pessoas justificarem que Messi é o melhor, mas que o prémio deve ser entregue a outro, que não o melhor.

As Bolas de Ouro de Messi

Leo Messi já venceu a Bola de Ouro por cinco vezes, mas em todas elas, parece que a FIFA não poderia encontrar uma desculpa, de acordo com o Mundo Deportivo.

Em 2009, Messi venceu o campeonato, Liga dos Campeões, Taça da Espanha, Mundial de Clubes, Supertaça Europeia e Supertaça da Espanha. Em 2010, ganhou o campeonato, Supertaça da Espanha e a Bota de Ouro. Em 2011, o campeonato, a Liga dos Campeões, Mundial de Clubes, Supertaça da Europa e Supertaça da Espanha.

Em 2012, venceu a Taça e bateu o recorde de mais golos num ano civil, 91. Em 2015, ganhou o campeonato, Liga dos Campeões, Taça, Mundial de Clubes e Supertaça da Europa.