Kathryn Mayorga está a acusar Cristiano Ronaldo por uma alegada violação, que remonta ao verão de 2009. A então modelo fez queixa à polícia no dia seguinte ao suposto ataque, mas sem revelar o nome do agressor. Fez exames e testes, que teriam confirmado a violação, mas mantendo o atacante no anonimato. Mais tarde, os advogados da jovem americana chegaram a acordo com os advogados de Cristiano Ronaldo para o pagamento de mais de 300 mil euros por um acordo de confidencialidade.

Não perca as atualizações mais recentes Siga o Canal news

Agora, segundo o jornal Correio da Manhã, a defesa do jogador de futebol passa por descredibilizar esse acordo, que parece atribuir-lhe culpa, revelando que o jogador foi pressionado para assinar esse contrato.

Real Madrid sabia do caso

A noite de Ronaldo com Kathryn Mayorga, em Las Vegas, aconteceu pouco antes do jogador assinar contrato com o Real Madrid que na altura foi a maior transferência da história do futebol. Quando o Real contratou o internacional português, queria mais do que um dos melhores do mundo para a sua equipa. A equipa madrilena queria um exemplo, um jogador sem polémicas em redor do seu nome e rapidamente se teriam apercebido desse possível escândalo, que ligava o nome do camisola 7 a uma alegada violação.

Por isso, o clube teria feito muita pressão para o jogador pagar esses 375 mil dólares americanos a Kathryn Mayorga, assinando um acordo de confidencialidade, para que este assunto nunca mais o assombrasse, nem lhe manchasse o seu nome e o do clube.

Supostamente, Cristiano Ronaldo não queria assinar esse acordo por defender a sua inocência no caso, mas o clube teria forçado o jogador a fazê-lo, para evitar que o escândalo ganhasse proporções que fossem nefastas para o seu bom nome.

Os melhores vídeos do dia

E será esta a narrativa que a defesa de Ronaldo vai usar, uma forma de descredibilizar esse acordo.

É que, nove anos depois, o acordo em que Cristiano paga mais de 300 mil euros à alegada vítima, poderia constituir a maior prova contra ele. Afinal, porque pagaria ele este dinheiro se estivesse inocente, é uma das perguntas que mais tem passado pela cabeça das pessoas. A resposta dos advogados será essa: o jogador foi forçado a assiná-lo, para evitar o escândalo, de acordo com o Correio da Manhã.

Imagem de Cristiano Ronaldo posta em causa

Atualmente, com o regresso do tema, a imagem de Cristiano Ronaldo fica posta em causa. Afinal, o jogador poderá ter violado uma pessoa no passado, o que lhe arruinaria a imagem que ele tem construído perante os seus milhões de fãs.

O internacional português é um dos jogadores mais admirados por todo o mundo, mas só esta suspeição já o tem prejudicado, não só com as marcas que o patrocinam, como também perante os seus fãs.

E poderia ter sido isso que o Real Madrid teria tentado evitar, há nove anos atrás.

O jogador chegou a Madrid após umas férias escaldantes em Las Vegas. Na altura, Ronaldo tinha 24 anos e era já muito famoso, tendo aproveitado esse verão para se divertir em discotecas, e com várias famosas. O jogador esteve associado a vários casos com Paris Hilton e Kim Kardashian, durante umas férias muito agitadas.

O pior de tudo teria acontecido nessa suposta noite com Kathryn, que teria deixado algumas pontas soltas, que o Real Madrid não teria gostado nada. Nove anos depois, e já fora do Real Madrid, o caso volta a assombrá-lo.