Antoine Griezmann admitiu que se lembrou de Messi na hora de decidir se saía ou continuava no Atlético de Madrid. A situação do jogador francês foi muito comentada na temporada passada. O jogador esteve quase certo no Barcelona, mas no final de contas, acabou por escolher o Atlético. Agora, Griezmann acabou por revelar, em declarações ao Canal +, que pensou no astro argentino e escolheu não ficar na sua sombra, quando poderia continuar a ser a estrela no Atlético. Ser o número dois no Barça foi um papel que Griezmann não quis e acabou por seguir no Atlético de Madrid, clube que vai defender no regresso do campeonato espanhol, no próximo fim de semana, neste grande duelo entre Barcelona e Atlético.

Não perca as atualizações mais recentes Siga o Canal news

Futuro de Griezmann foi muito debatido

O futuro de Griezmann poderia ter sido diferente. O Barça estava disposto a pagar a cláusula do jogador na temporada passada, mas o francês preferiu o que o Altético tinha para lhe oferecer.

Colegas, direção, treinador e até a esposa tentaram sempre que o atleta continuasse em Madrid, onde é a estrela da equipa. E o jogador, agora campeão do mundo com a sua seleção, está convencido de que tomou a decisão certa.

Foi durante o Mundial, na Rússia, que o jogador revelou que tinha tomado a decisão de continuar no clube madrileno, apesar da oferta do Barcelona.

Griezmann não quis ficar em segundo plano

Agora, Griezmann admitiu que realmente sentiu a preocupação de passar para um segundo plano ao jogar na mesma equipa de Leo Messi, e que isso acabou por ser um fator importante na sua tomada de decisão.

Em declarações ao canal de televisão francês Canal +, Griezmann contou: "Foi difícil recusar o Barça? Foi muito difícil”. O francês explicou que não foi fácil ter um colosso como o Barça a querê-lo.

Os melhores vídeos do dia

"Eu tinha o Barça a ligar-me, a mandar-me mensagens, e tinha o clube onde eu estava, onde já era um jogador importante, e com um projeto construído ao meu redor", revelou o francês, antes de confessar: "E claro que, inconscientemente, ser o número dois de Messi também teve o seu peso".

Griezmann contou ainda que no Atlético de Madrid fizeram de tudo para o segurar na equipa. "Os meus companheiros de equipa vieram falar comigo, aumentaram-me o salário, e fizeram tudo para mostrar que esta era a minha casa e que eu não deveria sair", contou o jogador francês.

O jogador contou ainda com um grande apoio do seu treinador, Diego Simeone, que quando se falava muito da sua saída, esteve sempre ao seu lado. "Depois de um jogo em que fui assobiado, ele apareceu em minha casa de surpresa para me acalmar e falar comigo e mostrar que eu tinha a confiança dele", contou o jogador.

Griezmann já marcou seis golos nesta temporada pelo clube e está a ser decisivo para que a sua equipa esteja no terceiro lugar da Liga, a apenas um ponto do líder Barcelona, a dias do confronto entre ambas as equipas.