O colombiano Yerry Mina teve um início de vida complicado. O agora central do Everton tem sorriso fácil e celebra os golos a dançar, o que não mostra o passado difícil. Em criança, Mina foi vendedor de rua e começou por baixo até chegar ao topo. Brilhou no último Mundial, com a seleção colombiana, depois de já ter convencido o Barcelona a contratá-lo.

Publicidade
Publicidade

Atualmente, está a jogar no Everton e é uma das estrelas da Premier League. Quando entra em campo, lembra-se da promessa que fez, ainda muito jovem, à sua mãe: ser o melhor para a ajudar. E conseguiu.

Vendia fruta em criança

Aos 24 anos, Yerry Mina está a afirmar-se no futebol europeu, mas em criança, ele nem dois euros ganhava por dia, a vender fruta, para ajudar a família. Para conseguir treinar, o pequeno Yerry apanhava boleia clandestina em camiões, correndo riscos, mas pelo sonho de singrar no futebol.

Yerry Mina (Imagem via Youtube)
Yerry Mina (Imagem via Youtube)

Mina cresceu numa família muito humilde, com os pais e o irmão mais novo, numa pequena cidade da Colômbia. A família não vivia numa casa, mas sim num único quarto, onde coabitavam todos. A avó de Mina tinha uma banca de frutas e o jovem andava pelas ruas a entregar as frutas aos clientes da avó, mas não ganhava nem dois euros por dia.

A promessa à mãe

Aos 14 anos, o jovem colombiano fez uma promessa à mãe: lutar pelo futebol para lhe poder dar uma casa.

Publicidade

"Escute, mãe. Um dia, vou-lhe construir uma casa. Vou-lhe arranjar um teto e comida. Você será alimentada pela mão de Deus", teriam sido as palavras de Mina, que agora relembra, em declarações citadas pela Sky Sports.

"Eu só queria que ela soubesse que, no futuro, tudo seria melhor", contou o agora astro do Everton. "Foi um período difícil para a minha família", relembrou Mina.

Agora, sempre que sai de casa para jogar futebol, Mina continua a dizer: "Vou ganhar o jantar da minha mãe. É daí que vem a minha força, daquela infância difícil".

Do início difícil ao Barcelona

Apesar das dificuldades, Mina nunca desistiu do futebol, mesmo vivendo a uma hora dos treinos. Sem dinheiro para autocarros, o craque agarrava-se aos camiões quando estes paravam.

Mais tarde, com 19 anos, chegou ao Santa Fé, na Colômbia, onde começou a chamar todas as atenções. Primeiro, do Palmeiras, no Brasil, e mais tarde do Barcelona, ​​onde se tornou o primeiro colombiano a jogar pelos catalães, no início de 2018.

Publicidade

Como chegou a meio da época europeia, Mina sentiu dificuldades para se impôr num grupo já muito rotinado, mas não esquece as palavras de Gerard Piqué: "Tu vais longe no jogo". Mina ficou muito feliz com o reconhecimento do central catalão e diz que, vindo de Piqué, essas palavras continuam a motivá-lo diariamente.

Estrela no Everton

Apesar de não ter vingado no Barcelona, Mina continua a sorrir quando recorda os desafios com Suárez e Leo Messi, e agora com Richarlison, no Everton, em que apostam camisolas e jantares.

Publicidade

Muito bem disposto fora de campo, Mina é mais sério, e até durão, dentro de campo. Afinal, é trabalho. "Eu sou muito diferente assim que passo pela linha branca. Não há amigos no campo", diz o jogador, sempre focado.

A brilhar na Premier League, Mina não esquece nunca as origens humildes nem as suas raízes. Criou a Fundação Yerry Mina na sua cidade natal. "É importante para mim servir de exemplo para todas as crianças que estão agora na posição em que eu estive no passado", diz Mina. E não para de sorrir, porque apesar de um início de vida difícil, Mina sabe que a vida foi muito mais dura para os seus pais e avós.

Leia tudo