A Galiza e o Norte de Portugal estão cada vez mais próximosem matéria de Negócios. A visita de há duas semanas de um grupo de empresáriosgalegos a V.N. de Famalicão e região veio reforçar ainda mais esta aproximação. As exportações do setor têxtil e vestuário português, só em 2014, ascenderamaos 4,6 mil milhões de euros, tendo a Galiza um papel de destaque porque fezcompras avaliadas em mil milhões de euros. Estas informações foram dadas pelaAssociação Têxtil e Vestuário de Portugal (APT). De referir ainda que a visita dosempresários foi promovida pelo Agrupamento Europeu de Cooperação TerritorialGaliza-Norte de Portugal, em parceria com outras entidades como a AssociaçãoTêxtil e Vestuário de Portugal, Confederação das Industrias Têxteis da Galiza(COINTEGA) e a Câmara Municipal de Famalicão.

Neste périplo por terras nortenhas, os empresários começarampor visitar o Citeve (Centro Tecnológico das Indústrias Têxteis e doVestuário) e ainda duas empresas ligadas ao setor: a Empresa TêxtilNortenha, em Famalicão, e a Pizarro, emGuimarães. Depois desta ronda voltaram ao ponto de partida, ou seja, novamente,ao Citeve e aqui, para surpresa de todos, foi apresentada a “Loja do Futuro”.Esta loja tem uma particularidade: ocliente experimenta uma peça de roupasem ter de a vestir. Este novo conceito agradou aos empresários galegos queficaram rendidos ao projeto vocacionado para as marcas e cadeias de lojas.

Trata-sede algo inovador que tem, fundamentalmente, o objetivo de dar ao cliente umconjunto de ferramentas que o vão motivar a comprar. Das váriasfuncionalidades, convém destacar a cabine de prova inteligente, com um “espelhomágico” que curiosamente permite experimentar roupa sem a ter de a vestir. É atecnologia no seu máximo e ao serviço do consumidor. Há também um body scannerque faz a digitalização do corpo humano, conseguindo a recolha de 400 pontos demedida em 10 segundos. Tem a particularidade de dar uma informação que pode vira ser usada para otimizar a tabela de medidas da empresa e adequá-las aoscompradores.

A “Loja do Futuro” tem “pernas para andar” e foi concebida pelo Citeve em parceria com a cooperação de mais decinco entidades. Esta “loja virtual” ficou concluída em dezembro.

A deslocaçãodos empresários galegos inseriu-se numa jornada organizada pelo AgrupamentoEuropeu de Cooperação Territorial Galiza-Norte de Portugal, organismo que é coordenadopela Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Norte (CCDR-N). Assementes para este intercâmbio estão lançadas e tudo só se consegue como disseum dos intervenientes “com muito trabalho” e assim “ ajudar a economia”.

Osempresários portugueses do têxtil e vestuário vão retribuir a visita dos seuscongéneres galegos no primeiro trimestre deste ano.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo