A unidade coronária do Hospital de Faro, no Algarve, está encerrada desde que foi descoberta a presença de piolho de pombo durante as operações de limpeza. O problema foi detectado durante o dia de ontem, 28 de Abril, e os utentes já foram deslocados para outra zona da mesma unidade de Saúde.

De acordo com os esclarecimentos prestados pelo Centro Hospitalar Universidade do Algarve (CHUA), a que pertence a unidade de Faro, a presença de piolho de pombo teve origem no exterior. A situação foi detectada durante as operações de limpeza da secção de internamento da unidade coronária e procedeu-se de imediato ao seu encerramento, para levar a cabo as devidas operações de desinfestação.

Os utentes que ali se encontravam internados foram transferidos para outra zona do mesmo hospital, continuando a receber os cuidados e tratamentos que necessitam. Apesar da presença do piolho de pombo, o CHUA garantiu que nunca esteve em causa a saúde e segurança dos doentes internados.

O prazo para a reabertura do serviço é, para já, uma incógnita. O Centro Hospitalar, que além da unidade de Faro inclui os hospitais de Portimão e Lagos, não se quer comprometer com nenhuma data, adiantando que tal só acontecerá quando estiverem restabelecidas todas as condições de higiene e segurança para os utentes.

Ao que tudo indica, o problema da presença do piolho decorre do facto de existirem inúmeros pombos na cidade de Faro, não havendo actualmente qualquer controlo da espécie por parte das autoridades locais e sanitárias.

Os melhores vídeos do dia

Problemas antigos no Hospital de Faro

O Hospital de Faro há anos que atravessa diversos problemas, que agravam o estado da saúde na região. A falta de médicos tem sido a principal dificuldade da unidade de saúde. Os concursos são lançados, os apoios à vinda de médicos publicitados, mas ainda assim escasseiam os que querem vir exercer medicina para o Algarve.

A este problema juntou-se ainda o deficiente acompanhamento por parte dos enfermeiros, uma vez que muitos dos que ali prestavam cuidados de saúde pediram transferência do seu posto de trabalho para centros de saúde, onde as condições são melhores.

Apesar de já terem sido anunciados diversos concursos para a construção de um hospital novo no Algarve, até ao momento nada avançou. Recentemente, o primeiro-ministro António Costa voltou a proferir a mesma intenção, dizendo que devem ser abertos estudos quanto ao Hospital do Algarve.