Anúncio
Anúncio

Nestas meias finais da Champions ainda está tudo em aberto. O Barcelona é a equipa com uma vantagem mais confortável, pois venceu em casa o Bayern de Munique. No outro jogo da meias finais, a Juventus recebeu e venceu o Real Madrid pela margem mínima, sendo que consentiram um golo em casa. A vitória do Real em casa por uma bola a zero é o suficiente para os madridistas chegarem a final. Esta edição da Champions tem sido muito diferente do habitual, não sendo comum ver resultados tão desnivelados, como os que aconteceram nesta edição.

O Bayern de Munique, apesar de estar em desvantagem nesta meia-final, ainda tem uma palavra a dizer. Nas fases anteriores da prova, os Alemães empataram a zero no jogo da primeira mão dos oitavos-de-final em casa do Shakhtar, vencendo posteriormente em casa por uns expressivos 7-0.

Anúncio

Nos quartos de final, a equipa bávara levou um valente susto, perdendo em Portugal com o FC Porto por três bolas a uma, uma situação muito difícil tendo em conta a fase avançada da prova e a qualidade dos adversários. No entanto, a equipa de Pep Guardiola não deixou os créditos por mãos alheias e venceu de forma categórica os Portistas por seis a um, na segunda mão. Não podemos comparar o Barcelona ao Shakhtar nem FC Porto, mas estes treze golos marcados em casa e apenas um sofrido, são um aviso sobre o poderio alemão quando joga no seu estádio.

A Juventus é teoricamente a equipa mais fraca presente nesta meia-final, no entanto, conseguiu surpreender o Real Madrid em Itália. A Vecchia Signora terá de realizar um jogo muito cuidadoso, especialmente defensivamente, pois terá pela frente jogadores como Cristiano Ronaldo, Gareth Bale, James Rodriguez, entre outros.

Anúncio
Os melhores vídeos do dia

A vantagem é escassa e um rasgo de inspiração de um destes jogadores pode ser o suficiente para eliminar os italianos.

A luta pelo estatuto de melhor marcador de sempre da liga dos campeões também está ao rubro, com Messi e Cristiano Ronaldo alternando sucessivamente o topo da tabela. A vantagem está do lado do argentino, com mais um golo do que o português do Real Madrid.