Advertisement
Advertisement

Um FC Porto moralizado, após a vitória no clássico diante do Benfica, deslocou-se esta sexta-feira, dia 25 de Setembro, a Moreira de Cónegos. Do outro lado, estava um Moreirense pressionado a pontuar neste jogo, que tinha apenas um ponto em cinco jornadas. Foi um jogo muito disputado e com resultado imprevisível até ao fim.

O sistema rotativo imposto por Lopetegui voltou a estar bem patente nas opções tomadas pelo treinador espanhol para este encontro da 6.ª jornada do Campeonato diante do Moreirense, de modo a resguardar os jogadores que venceram o Benfica no passado fim-de-semana, para o próximo desafio da Liga dos Campeões, que acontecerá na próxima Terça-Feira, dia 29 de Setembro no Estádio do Dragão, com o Chelsea de Mourinho.

Assim, o FC Porto apresentou um onze constituído por Casillas, Maxi Pereira, Maicon, Marcano, Layún, Herrera, Danilo Pereira, Corona, André, Brahimi e Osvaldo.

O FC Porto entrou forte e determinado a resolver o jogo cedo, e através de Maicon, aos 18’, inaugurou o marcador, na sequência de um livre direto.

Advertisement

A equipa tranquilizou-se e tentou gerir o encontro, continuando à procura do golo que acabasse com a esperança de um Moreirense muito lutador e bem organizado. Antes do intervalo, Varela entrou para o lugar do lesionado Brahimi.

No início da segunda parte, logo aos 50’, o Moreirense conseguiu responder através de Iuri, boa triangulação com Cardozo, com o extremo a rematar à entrada da área, sem hipóteses para Casillas. Com o empate, Lopetegui decidiu mexer na equipa, tirando Herrera do meio-campo e colocando Tello. O FC Porto pressionava o Moreirense, mas sem chegar a resultados práticos.

Aos 77’ Lopetegui apostou tudo, retirando Marcano e colocando Aboubakar. Não demorou, com tal caudal ofensivo, a surtir os efeitos esperados, e aos 79’ o FC Porto chega ao golo da vantagem por Corona, que faz um bom trabalho sobre um defesa do Moreirense, depois de ser assistido por Tello.

Advertisement
Os melhores vídeos do dia

Mas a equipa do FC Porto depois das alterações de Lopetegui estava muito exposta, com Danilo a central, e com um tridente Corona - André – Varela, onde apenas André estava rotinado para aguentar com as despesas do meio-campo. O Moreirense voltou a acreditar perante o receio do adversário, e conseguiu chegar ao golo do empate através de André Fontes de cabeça, depois de cruzamento de Sagna.

O FC Porto tentou reagir, mas foi incapaz perante um Moreirense bem organizado e lutador que tentou ao máximo aproveitar o erro do adversário, e que soube gerir o resultado nos momentos certos. O FC Porto esteve nervoso, e Lopetegui nunca conseguiu estabilizar a equipa, nas duas alturas em que conseguiu a vantagem, permitindo sempre ao Moreirense acreditar que era possível pontuar neste jogo.

Amanhã, dia 26, o Benfica defronta, no Estádio da Luz, o Paços de Ferreira às 18h30m, podendo em caso de vitória reduzir para dois pontos a diferença pontual para o FC Porto. Já o Sporting desloca-se amanhã, às 20h45m, ao terreno do Boavista, e em caso de vitória pode ficar isolado no comando do campeonato, com mais dois pontos que o FC Porto.