As guerras de palavras entre João Gabriel, ex-director de comunicação do Benfica, e Bruno de Carvalho, presidente do Sporting, não são novas, por norma nas redes sociais, e continuam mesmo depois da época já ter acabado. 

Após anunciar o abandono do cargo no clube da Luz, João Gabriel deu uma entrevista ao jornal Record -onde abordou vários temas - e voltou a deixar algumas 'farpas' ao presidente da equipa de Alvalade, defendendo que os seus tweets não se compararam com os posts de Bruno de Carvalho no Facebook e garantindo que não "vulgarizou" a sua palavra.

Publicidade
Publicidade

"Eu não sou presidente do Benfica, sou responsável pela comunicação do clube. Depois, comparar os meus tweets com os posts do presidente do Sporting é comparar música clássica com música pimba...", destacou o responsável pela comunicação dos encarnados, revelando que recebe várias mensagens dos adeptos do clube sobre as 'picardias' com Alvalade, mas que é impossível chegar a um consenso sobre se a equipa da Luz deve ou não responder aos leões. 

Além disto, João Gabriel defendeu ainda que a estratégia de comunicação utilizada pelo Sporting não foi a mais eficiente, sublinhando que houve alguns momentos em que não se sabia se quem comandava era presidente ou o treinador, Jorge Jesus. 

Quem também não escapou às críticas foi o técnico leonino, e antigo treinador do Benfica, que trocou de clube no início da época passada.

Publicidade

O director de comunicação das águias defendeu que tinha ajudado na longevidade de Jorge Jesus no comando encarnado, onde esteve durante seis anos, mas que esta se deveu maioritariamente a Luís Filipe Vieira, presidente do clube da Luz. Além disto, sublinhou também que o técnico teve todo o apoio enquanto permaneceu no Benfica, garantindo que estiveram "com ele e por ele contra tudo e contra todos". 

Por último, foi a vez de as atenções se virarem para o rival do Norte, o FC Porto - que não ganhou nenhum título nos últimos três ano.

O antigo jornalista e assessor de Jorge Sampaio na Presidência da República destacou que a liderança de Jorge Nuno Pinto da Costa é frágil e que está alicerçada no passado, já que os sócios dos dragões têm respeito pelo trabalho que o presidente fez durante 30 anos e não pela sua actual capacidade. Para provar o seu ponto de vista, João Gabriel sublinhou que nunca pensou ver a "subserviência que o FC Porto teve no final da época para com um clube de Lisboa" , sendo que "a bajulação de um líder do FC Porto ao Sporting seria algo impensável nos bons tempos de Pinto da Costa".

Além disto, João Gabriel criticou também a comunicação dos dragões, garantindo que esta se mantém a mesma ao longo dos últimos 30 anos, baseando-se numa luta incessante contra a capital de Portugal. Assim, o antigo director de comunicação das águias não se inibiu de deixar uma farpa ao rival: "Como se tivesse sido Lisboa a contratar Lopetegui e a dar-lhe plenos poderes durante quase três anos", apontou.

Publicidade

De referir que João Gabriel foi director de comunicação do Benfica desde maio de 2008, altura em que Luís Filipe Vieira cumpria o seu segundo mandato na liderança dos encarnados.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo