Depois de anos de várias conquistas nacionais, e de boas prestações na Europa, o Benfica 2017/2018 foi uma completa deceção. Na maioria das provas, os encarnados foram eliminados precocemente. Como se explicam estes maus resultados? Revelamos e analisamos as principais razões.

Reforços

Após a conquista do tetra, a saída de Edérson, Nélson Semedo, Mitroglou, Lindelof tornou-se inevitável. As propostas eram irrecusáveis para todas as partes. Financeiramente, o Benfica lucrou bastante; desportivamente, já se sabia que não seria fácil substituir jogadores tão preponderantes na estratégia de Rui Vitória. No entanto, o que é estranho é que o presdiente Luis Filipe Vieira, sabendo há muito tempo que estes jogadores dificilmente ficariam na Luz, decidiu não investir muito no plantel.

Não dispensou alguns jogadores que não tinham mostrado rendimento no passado (caso mais gritante: Filipe Augusto) e adquiriu jogadores de qualidade questionável. Para o ataque, chegaram:

  • o brasileiro Gabriel Barbosa, por empréstimo do Inter de Milão (pouco se viu, saindo assim do Benfica em janeiro);
  • Seferovic, atacante suíço, proveniente do Frankfurt, que até teve bom início de época, mas apagou-se, não acrescentando qualidade;
  • Svillar, considerado uma das grandes promessas das balizas do futebol mundial, foi contratado ao Anderlecht, nunca tinha feito qualquer jogo como sénior... sempre que jogou, as coisas correram mal;
  • Varela, formado no Benfica, e que na época anterior tinha sido um dos melhores guardiões da primeira Liga (atuou ao serviço do Vitória de Setúbal), no entanto não deu a mesma segurança à baliza dos encarnados esta época (embora seja justo dizer que, Varela cresceu ao longo da época, fazendo alguns jogos de bom nível) sempre demonstrou mais segurança que o belga. Após uma falha no Bessa na primeira volta do campeonato foi remetido para o banco, mas os sucessivos falhanços de Svillar ditaram o regresso ao 11 do português.
  • Douglas, emprestado pelo Barcelona, jogou poucas vezes. Ficou claro que é um jogador com grande intervenção no jogo ofensivo, contudo, no plano defensivo tem muitas limitações.
  • Rúben Dias, o capitão da equipa B do Benfica, foi promovido à equipa principal, ocupando o lugar de Lindelof. Apesar de ainda ter naturalmente muito para evoluir, mostrou grande qualidade e foi convocado por Fernando Santos para o Mundial do próximo mês.
  • O croata Krovinovic foi um reforço de peso para o meio campo. Depois de uma grande temporada ao serviço do Rio Ave, tinha os 3 grandes interessados ... o Benfica ganhou a corrida. Chegou com uma lesão, perdeu a pré temporada,...não foi inicialmente aposta ... mas a partir do momento em que passou a ter minutos, facilmente demonstrou que dá brilho ao jogo do Benfica: qualidade técnica, velocidade, etc. Contudo, quando o Benfica começou a subir de rendimento no campeonato, Krovinovic lesionou-se gravemente (regressando só para o ano), e o Benfica sentiu a sua falta.

A estranha saída de André Horta

Ferrenho benfiquista, o jovem médio, formado no clube da Luz, fez a primeira época como sénior no Vitória de Setúbal, onde brilhou.

Os melhores vídeos do dia

O Benfica recuperou-o, e André até novembro de 2016, joga com regularidade, encantando os adeptos com o seu futebol.

Veteranos Júlio César, Luisão, e Paulo Lopes: sair ou não sair?

Luisão já leva 15 anos de Benfica. É um símbolo das águias. Contudo, a idade não perdoa, e o brasileiro já não tem o rendimento desejado já há algumas épocas. Contudo, foi mais uma vez aposta no Benfica, e a verdade é que, das vezes que jogou, teve em parte, responsabilidade nas fragilidades defensivas, nomeadamente no jogo com o CD Tondela. Júlio César já era afetado pelas lesões há muito tempo, e decide sair em novembro, ainda a época não ia a meio. Contudo, o motivo para a sua saída não foram os problemas físicos. Em entrevista ao jornal italiano Gazzetta dello Sport, o veterano guardião brasileiro revelou “Por problemas internos, que deixo de lado, perdi a minha motivação e preferi rescindir contrato”. Paulo Lopes, de acordo com notícias da época, no verão passado já pensava terminar a carreira, e sairia assim que chegassem novos donos das balizas encarnadas, assumindo o lugar como Treinador de Guarda Redes.

Humilhação na Champions

Manchester United, Basileia e CSKA, foram os adversários do Benfica na fase de grupos. Tinha tudo para passar aos oitavos de final... mas o Benfica foi eliminado, sem somar qualquer ponto (e com a agravante de ter sido goleado pelos suiços por 5-0)! É a pior participação de sempre das Águias - e de uma equipa portuguesa - na Champions.

Estranhamente, Rui Vitória optou por não inscrever na prova o já mencionado Krovinovic, um atleta que claramente dava outras soluções ao meio campo dos encarnados.

Tão mau, ou pior que isto tudo foi o facto de, após a fraca prestação equipa na prova milionária, treinador, presidente e jogadores terem desvalorizado este fracasso. Reagiram como se fosse algo natural. Nunca se ouviu uma pedido de desculpa aos adeptos... assim como também nunca se viu/ouviu publicamente um sentimento de revolta face a este a fraco desempenho.

As polémicas extra futebol

Através de um discurso inflamado, Sporting e FC Porto revelaram alegadas fraudes cometidas associadas ao Benfica que vieram a público com muita frequência, durante toda a época. Luís Filipe Vieira e o seu gabinete de comunicação tiveram dificuldades em reagir a estas polémicas, e quando o fizeram, não deram grandes esclarecimentos, dando respostas vagas. O facto de o Benfica ter processado o FC Porto por violação de correspondência eletrónica veio deitar por terra a ideia inicial que os e-mails seriam uma "fabricação" de Francisco J. Marques, responsável de comunicação dos portistas.

Aliado a tudo isto, e ao insucesso desportivo, já na reta final do campeonato, após a derrota do Benfica na Luz frente ao FC Porto, que complicou as Águias na luta pelo título, mas que mantinha em aberto a possibilidade de garantirem o 2º lugar, Rui Gomes da Silva manifestou a sua disponibilidade para ser candidato ao Benfica (algo que não foi bem recebido por alguns elementos da atual direção).